Murilo Gun

Quem está online

Temos 14 visitantes em linha

Enquete

O que você achou do nosso site ?
 

Assista

Parceiros

Admmauro Gomes

Siga-nos



PoesiAbsoluta
INEXPLICAÇÃO NECESSÁRIA (parte do introito) PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Isso não é um romance, um romance meio que instantâneo e sem causalidade física, psíquica, emocional, porém com complexidade extensa e dotado de particularidades excelsas. Caracterizado por singularidade absoluta.

 
RESPOSTAS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Por que escrevo (pratico, faço, urdo) poesia?

Porque vou morrer.

Faço, armo, crio, componho

 
VISÃO DO PARAÍSO (2) PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

O paraíso é lilás. Não é azul. Nem branco.

Seu portão (majestoso angelical) é de acrílico puro e

bem blindado: pelos três rios magnas minerais.

 
OS OLHOS DELA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Com Neruda para quem coração é apenas um móvel

digo que a amo... e ela talvez me ame ou me amaria um pouco

que seja... algum dia... ou noite. Essa é minha esperança meu desespero.

 
IRA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Ira, mulher bela ferina

usa bondade do corpo

para ferir sua sina

 
CONSPIRAÇÃO DO CREPÚSCULO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Debruçou-se a tarde sobre os ombros do poente

(os lassos músculos da noite já cintilavam)

e deliberou com lua pálida surda

 
DO NOVO LIVRO A SORRELFA OU SOMBRA DE DÚVIDAS DE VCA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Sonhei um rio esquecido

de margens réprobas

atravessado de talvezes

 
PAIAPRENDIZ PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Aprendo muito com Murilo, quando estou em Barueri – na casa studio dele.

 
NOVOS TEMPOS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Chegaram tempos de desesperança e gozos vastos

e da comovedora prosperidade dos pastores

a expensas de Deus coitado, o deus dinheiro

 
TEMAS VITAIS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Escrevi depois sobre estereótipos graxos

e pontos cegos e fugas cônicas além de agravos

regimentais e arquétipos antediluviano

 
CYBERHÓSTIA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Hoje – 12 de outubro de 2017 – conecta-se com Deus pelo Facebook

através de cânticos de luz quânticos e chips feéricos de anjos.

 
DÍSTICOS IRADOS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Nobel ou ignóbil, ira é acadêmica, com aspereza.

Talvez francesa, brasileira com certeza.

 
SOMBRA DO BARRO OU O QUE RESTE DA MORTE PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

O que sobre do barro, sombra

a carradas leve paulatina em breve

em inefável caravana por senda escura para

 
ONDE QUANDO COMO PORQUÊ PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Onde o verde das distâncias invencidas?

E o azul longevo dos longes de mim?

 
03/10/2017 PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Escrevi ontem um poema alcoviteiro.

Estava em desuso e a barba parecia duas navalhas cegas.

Estava me discriminando muito e me acotovelei

 
BÁRBAROS VIRTUAIS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Hoje os bárbaros destroçam a sala de jantar

mas cremam poesias, não poetas... ufa!

A poetas não incineram, castram, emasculam

 
HORDAS DO FIM PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Celestes hordas trovejam

sobre coisas subliminares.

Crateras servem veneno doce da palavra.

 
<< Início < Anterior 61 62 63 64 65 66 67 68 69 70 Seguinte > Final >>

Pág. 67 de 77

INFORMA DIGITAL

Revista Urubu

Singular

Papel Jornal

Jornal O Monitor

Textos Agrestes