Murilo Gun

Quem está online

Temos 57 visitantes em linha

Enquete

O que você achou do nosso site ?
 

Assista

Parceiros

Admmauro Gomes

Siga-nos



PoesiAbsoluta
ALGAROBA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Como o pardal, são pestes. Vieram de fora, são ets do reino vegetal e animal.

 
DE ONDE VIMOS? PARA ONDE VAMOS? PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Vida - um acontecimento
Passível de explicação;
Ao adentrarmos ao mundo

 
ESPIRITOANÁLISE PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Quando investigo o meu espírito, o que faço de má vontade (dispersamente) e sem o vigor vital das coisas noturnas, sinto o quanto apoético anda o mundo.

 
O ABSOLUTO POETA HOLDERLIN PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

VCA

Há dois curtos poemas de Holderlin, nos quais se refere a Heidelberg, cidade alemã milenar e velho centro universitário, que se destaca pela antiquíssima e majestosa ponte e pelo mais velho ainda Castelo (imobilizado no tempo ou mergulhado de peito na plena eternidade).

 
POEMA ABSOLUTO: CAMINHO QUE SE FAZ A SI MESMO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Por que poema absoluto repulsa?

Amedronta, afasta leitor instintivamente, leva-o a reprimir-se, incomoda (tipo afasta de mim esse cálice de palavra)... e essa autorepressão é incontinente, efetiva e indetida, quer dizer compulsiva, maior que a vontade de ler (ao poema... difícil, estranho... temível, repulsivo).

 
TODA ORALIDADE SERÁ PROIBIDA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

VCA

Poeta (poeta) tem ânsia de absoluto e despreza todo o relativo do verso (eleito há mais de 100 anos, como padrão final de poesia). Aquele lida como o hiperverso perversamente, isto é, torna fulo, raivoso, inquieto, contrário leitor fácil, que queira tudo de sentido imediatamente bem exposto, indubitável sentido meridiano, cristalino como a pele de sua alma parnasiana.

 
INDIRETO AO ID PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Iogue

tem voz de unguento.

 

 
IDELIRANDO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Brisa apazigua deuses

noite esmera sombras

tarde afoga-se dos pasteis do crepúsculo

 
Venho da tarde PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Venho da tarde, à tarde vou

não descendo da noite longínqua

pétreo belvedere de estrelas tristes.

 
NOVAS INCURSÕES NA TEORIA DA PERSIA ABSOLUTA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Essa busca do sentido perdido, que a poesia absoluta procura, como a um graal da palavra, tem por propósito e objetivo vital entranhar ou dificultar o sentido aparente, claro, insofismável, o sentido fácil dado a priori pelo ‘’poeta’’ para agrado ao leitor, pelo poeta que ‘’constrói’’ o poema com a condição de doar sentido que satisfaça leitor elementar, algo composto (que diz ser poema, mas não é) com palavras meridianas que possibilitem o pleno, direto e incontestável entendimento rápido e definitivo, contendo lição de amor, moral, etc.

 
INVESTIGAÇÕES LÍRICAS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Porque nominei de absoluta a nova poesia neoposmoderna – e por efeito os seguidores dela seriam poetas absolutos (e o são, em contraste com os poetas relativos), um cronista ironizou: ‘’um cara se diz poeta absoluto, subindo e descendo as ladeiras de Garanhuns’’, e, citando Hegel e o espírito absoluto, criticou o apodo vital e disparou: absoluto é adjetivo inalcançável pelo homem.

 
OSMAN HOLANDA E O HAICAI PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

VCA

Roland Barthes dizia ter desejos de haicai, como de sexo ou chocolate, e reclamava do encantamento haicai, que o levava (ao gozo estético) a lê-los diariamente. Detinha uma coletânea haicai, à beira e à mão do criado mudo, disponível nas aulas, também.

 
POESIA CURA (INCLUSIVE IMPOTÊNCIA) PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

VCA

Mallarmé, Valéry, o grande Wordswort e, em geral, os poetas simbolistas sempre afirmaram que o poema não deve dizer, explicitar, informar ou descrever diretamente, mas sugerir.

 
CONVULSO ID CONVULSO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Uivos de cimento abalavam a catedral

discursos de incensos se diluíam das máscaras.

 

 
MORTE DA TARDE PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Quando a tarde morre

ceifada por horas negras

dá-se enterro vasto

com pompas bêbadas.

 
FALA, LÍRICO ID PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Crepúsculo matinal

manhã já punha cores

no sono do horizonte

 
ZIZEK: A NOVA VISÃO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

A grande repercussão mundial da filosofia e atração sócio-literária de Zizek provêm do fato de seu pensamento, prático e altamente epistemológico fundamentado, ilustrar de modo veraz e categórico as reais contradições (e sinucas de bico em que se mete o) do capitalismo contemporâneo.

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>

Pág. 9 de 67

INFORMA DIGITAL

Revista Urubu

Singular

Papel Jornal

Jornal O Monitor

Textos Agrestes