Murilo Gun

Quem está online

Temos 64 visitantes em linha

Enquete

O que você achou do nosso site ?
 

Assista

Parceiros

Admmauro Gomes

Siga-nos



PoesiAbsoluta
DOIDO CAMINHO DO ID PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Porém a maioria de nós (pessoas meramente humanas, inscientes ainda do que são, donde vêem, aonde irão) se recusa ou não procura penetrar a vida (desvelá-la) em sua plenitude.

 
PERCURSO DO VERÃO NO ROSTO E A MORTE DO CORAÇÃO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Verão perambula no corpo

sepulturas cercam o coração.

Peregrina lágrima ao olho consola

 
POESIA. POESIA? PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

A poesia, o modo de fazê-la varia a cada época.

 
A FORMA DE MENSAGEM PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

A questão da comunicação poética (que dizem torna-se mais fácil, por tem ritmo rímico e métrico – nemônico) é algo em que todos (até poetas cultos) tropeçam.

 
DA MORTE DO NOME PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Das vagas do incógnito, de inúteis nadas

de cifras vazias e teoremas esquálidos

de álgebras destroçadas do abdome do exato

 
RESPLENDOR MORTO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Todo látego não tem luz.

Música apocalíptica é maiúscula.

Como luz de círio despedaçada.

 
EPISÓDIO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

De pão e vinho vivem os anjos

do céu barris ocupam a mesa de Deus

lotam as dispensas mais altas.

 
GUSA E VISÕES EPIFÂNICAS DA PALAVRA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

aos cajus do olhar

Amanhecer amarelo não temo

do olho ágil do crisântemo

 
SOLIDÃO EM AÇÃO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

(Junte sua fértil solidão a outras)

 
POEMA FAZ-SE COMO A LUZ PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Da queda ou da peida

do horizonte se faz o poema

da melancolia da lua também

 
DO NOME VITAL PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Sei que meu nome não dura

uma geração de brilhos mortos.

Antes que tempo o dissolva

 
O QUE A POESIA ABSOLUTA NÃO É PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Não é uma construção formal nem artesanal, algo de hábil lavor e formas inquestionáveis, exatas como uma bomba A.

 
POEMA FRENTE E VERSO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Do limiar de pássaro projeto

meu vou ao Averno

minha lídima vinda do rosto acordo

 
CÉU ALÉM DO ALCANCE PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

O céu continua sem fim.

E inalcançável. Assim.

Vim da boca de todos os abismos.

 
POEMA CAPTADO DAS FALHAS DE UM ALFARRÁBIO NOVO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

As sombras deixavam seus esses espalhados

na palha das rimas fugitivas enquanto

o silêncio fluido dos is sem pontos

 
SÓ AS PAREDES CONFESSO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Pertenço a algumas academias de letras (pois são quase infinitas), embora me seja impróprio frequentá-las em face de viver em modo solitário.

 
CREIO NO MERCÚRIO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

A melancolia realmente é de cimento. Não exagero.

Juro-o, pelos vãos exangues do céu. Sigo os ângulos

exilados e, do vértice do nojo à seda do prisma, fico

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>

Pág. 2 de 83

INFORMA DIGITAL

Revista Urubu

Singular

Papel Jornal

Jornal O Monitor

Textos Agrestes