Murilo Gun

Quem está online

Temos 30 visitantes em linha

Enquete

O que você achou do nosso site ?
 

Assista

Parceiros

Admmauro Gomes

Siga-nos



PoesiAbsoluta
LINDES DA POESIA ABSOLUTA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

A poesia absoluta, isto é, de significação formalística ao extremo, distancia-se tanto da poesia popular quanto da hoje denominada culta (que é neoposparnasiana).

 
JORRO INCONSCIENTE PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Manam fontes do meu desejo

ante a desordem dos  círios enlouquecidos

de funéreas brasas mortas

 
ACUSO (OU PELA POETRIA NOVA) PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

A poesia absoluta não se encontra na agudeza  da expressão, mas na expressão da agudeza.

 
COMO A POESIA NASCEU PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Na poesia, estabelece-se uma relação (ou compenetração íntima, cálida, complexa) quase sexual, porém inusitada, com os objetos (do mundo e da vida).

 
O MARTELO DA POESIA ABSOLUTA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

A complexidade da linguagem humana, pode-se dizer, é obra ímpar de Deus, e Ele a fez através de sua criatura maior, o homem, à selva, deixado na terra ao léu de si, no âmbito do seu próprio arbítrio.

 
POESIA ABSOLUTA E RELATIVA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Poesia não verifica ou esclarece fatos. Função específica e privativa da prosa.

 
POETA DE ALMA SECA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Todas as especulações da alma encontram abrigo na poesia, no sentido que desta forneceu Pound: a palavra em sua maior carga conotativa (não abstrata),

 
O QUE A POESIA ABSOLUTA NÃO É PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Não é uma construção formal nem artesanal, algo de hábil lavor e formas inquestionáveis, exatas como uma bomba A.

 
SOBRE POESIA NOVA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Não se trata da busca do sentido perdido (ou abrir a vital arca do significado), mas de perder os sentidos, ocultá-los, tornando-os indecifráveis,

 
QUANTUM DE CRUELDADE PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Quanto crueldade leva a luz

a iluminar a morte

declará-la como estipêndio

 
REAÇÃO ATIVA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

É urgente o processo de ampliar a suficiência da linguagem verbal, do universo da ação poética, no sentido de abranger um campo maior

 
O QUE HAVIA NO MEIO DO CAMINHO (?) PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

(No meio do caminho tinha uma perda)
No poema de abertura do seu primeiro livro – Alguma Poesia (1930), título já prenunciando a arguta ironia drummondiana

 
A VÍVIDA MORTE DE NOVALIS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

do livro em elaboração final: Morte dos poetas.

Novalis, o gênio lírico romântico, era votado à poesia e à morte, como bom romântico, tipo Byron, Castro Alves, o além umbral era algo familiar a ele.

 
PARVOÍCES MESTRAS E NATIVO TERRORISMO ATENTADO AO SUS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Assusta-me horrorizadamente o nível de contaminação e engrossamento de suas hostes ordinárias que a MEDIOCRIDADE ORGANIZADA

 
DIÁRIO ORNITOLÓGICO DE VCA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Apenas, como fenômeno estético

a existência e o mundo se justificam.

Nietzsche

 
A VELHA POESIA ESTREBUCHA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

O poema absoluto opera, através do verbo, uma fusão entre o consciente e o inconsciente, tanto do autor poeta, quanto do leitor, que complete o poema, encontrando em

 
POUND: IL MIGLOR FABBRO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Aprendi com Pound uma poética de rigor e a libertação do verso. E o silêncio de Pound, em Veneza (onde estive a rever seus passos como os de Borges em Buenos Aires) era poético.

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>

Pág. 3 de 73

INFORMA DIGITAL

Revista Urubu

Singular

Papel Jornal

Jornal O Monitor

Textos Agrestes