Murilo Gun

Quem está online

Temos 65 visitantes em linha

Enquete

O que você achou do nosso site ?
 

Assista

Parceiros

Admmauro Gomes

Siga-nos



PoesiAbsoluta
PARA PARVOS (EVANESCENTES) PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Até o dia do juízo final fui

caminhei a ele... e o encontrei

(ao juízo em ato), finalmente

 
VERGASTA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

A um anjo de barro peço areia guarida

a largo inferno caminho de casa

à forma do pão desvarios de trigo

 
POESIA DE SI PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Sou o fim só o fim do começo?

A poesia de VCA cria sua própria

(e vária) forma. Rejeita fórmulas.

 
PIEDADE INÚTIL PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Céu aquoso exército

do acaso cria

com estanho da tarde

 
EM DOIS POEMAS: POESIA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Palavras foram feitas para ocultarem

não para revelarem um pouco o nu das coisas.

Do inferno correm rios sólidos

 
ID USINA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

A verdade, a beleza, a estética, o real perfeito ou perfeição real da existência, tudo acontecendo de pronto ao redor do sujeito que somos...

 
ALGUÉM QUEM? PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

às amigas do Facebook

Alguém tem meus cílios leprosos

alguém truncou minhas pálpebras velozes

 
CINZA E NADA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Trevas passadas.

Cinzas por vir.

O escuro ainda vem.

 
VERDADE OU VERME PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Amontoado coração brilha

como palavras acantonadas

no íntimo devasso da amada

 
O POETA EXPULSO DA REPÚBLICA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

O inflexível (e divo) Platão, republicano doente, fanático da lei

e vertiginoso arauto da realidade política

ático príncipe das leis éticas e rígidas (e áticas)

 
LUGAR (LÍVIDO) DA ALMA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Nichos de górgonas azuis lua esquadrinha

crateras enlodadas ainda lábio escaninha

apetrechos de lustres civis prosperam

 
SER PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

O objetivo da vida é a morte

Somos ser para o podre

(ou para o poder da larva)

 
TERCEIRA VISÃO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Lavra céu relâmpago e fragor grassa

trêmulo infinito arde eternamente

luz do rumor assalta boca da alma

 
O VERBO É NOTURNO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Poemas são palavras espetadas na cerâmica do céu.

Palavras desesperadas por um sentido ou

luz macia (como doces para bocas)

 
MEDITAÇÕES DO ABISMO PROFETA (VOCÊ CONCORDA?) PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Anátema de pedra achei na boca do profeta

É das incertezas da inteligência e desvarios da razão que vem o poema.

Toda clarividência é cinza.

 
DA MORTE PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

A morte arde

em câmara fria

(im)piedosamente sábia

 
CAIS AÉREO PARA PÁSSAROS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Mãos sepultas como portos

entre mares de porcas pérolas

ânsias afagando-se

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>

Pág. 4 de 83

INFORMA DIGITAL

Revista Urubu

Singular

Papel Jornal

Jornal O Monitor

Textos Agrestes