Murilo Gun

Quem está online

Temos 24 visitantes em linha

Enquete

O que você achou do nosso site ?
 

Assista

Parceiros

Admmauro Gomes

Siga-nos



PoesiAbsoluta
DO LIVRO ERMO E SÚBITO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

A uretra do objeto era álvara, embora indecisa... e a verdade escura ainda como o coração da pedra ou o grito sonâmbulo apenas azul do enorme rumo que se abriu de

 
ELEGÂNCIA DE ESCÂNDALO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Ela tinha um sexo aguçado

e o caráter doce como riso

ela assoberbava manhãs

 
ARTE DA FUGA OU DEUS FAZ-SE PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

De que sopro, de que FIAT Deus faz-se?

de fragmentos do fogo veio o homem.

Cavalos frios atropelam o inverno.

 
HOT HOME PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

A experiência do poeta é absoluta impotência pessoal, é pura desidentidadização... e intranquilizadora.

 
QUE É A VERDADE AFINAL? PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

A verdade é o que fazem

esféricos elétrons girando

à velocidade quase da velha luz

 
NOTAS (S) PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

O poema é um objeto (não é sujeito) de palavras nada físico ou fisiológico, construído pela imaginação...

 
ÉDEN EM RUÍNAS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

O galope da pálpebra e um silêncio úmido

percorrendo o teto das casas do sono

cisnes perambulando na brancura

 
DESTINO ABSOLUTO MANIFESTO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Eis o momento (ou ele já passou, era) da poesia encontrar o seu futuro (não prévio), já que o presente brasileiro foi tão sáfaro infértil como um deserto

 
O SIGNO SIGNIFICANTE PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

O signo significante (de Deleuze) é algo completo. Não é só face da moeda da comunicação. É um todo, um como fragmento íntegro.

 
AO AMPLO E AO IMERSO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Tudo o que haja

de imerso, excessivo, minucioso

no verso desponte

 
O SILÊNCIO DO CLAUSTRO É BRANCO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Embora inacabada a brancura dos claustros

extasia o ser e afasta e penúria de si.

Alto ou baixo o sol se atira sobre o vasto

 
DA MORTE DO NOME PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Das vagas do incógnito, de inúteis nadas

de cifras vazias e teoremas esquálidos

de álgebras destroçadas do abdome do exato

 
ESCREVER É PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Escrever é afirmar a solidão, é

reencontrá-la na página

e bebê-la em golpes de lauda

 
TRÊS CASOS (ACUSATIVOS) PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Se sou pária? Não, sou ímpar.

Ou pária ímpar.

E Pascal, que topou com o vácuo total

 
LUZ DE ÁLGEBRA E SINO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Ossuários verdes leve álgebra

de pássaros engendra.

Progresso: abreviatura de lodo e encanto.

 
O CORTE FENOMENOLÓGICO E A POESIA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Fenomenologia foi expressão criada por Hegel para designar o conjunto das manifestações totais da vida do espírito na consciência.

 
GERAÇÃO POESIABSOLUTA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Já se detecta, adverte ou ensina o professor, poeta (absoluto) e crítico literário, Admmauro Gommes, o surgimento da raiz, a reboque do Em movimento PA,

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>

Pág. 5 de 78

INFORMA DIGITAL

Revista Urubu

Singular

Papel Jornal

Jornal O Monitor

Textos Agrestes