Murilo Gun

Quem está online

Temos 55 visitantes em linha

Enquete

O que você achou do nosso site ?
 

Assista

Parceiros

Admmauro Gomes

Siga-nos



PoesiAbsoluta
AO LEITOR PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Leitor faça alguma coisa, desista

de penetrar o poema, essa verbal vagina

assedie-o, leia pela beirada, salte o obstáculo

 
POESIA APENAS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Viram-me descer ao vale

(sombra parda arrulhando)

estando a pele do coração

 
O RIO QUER MORRER PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Há tardes que sinto do âmago da tinta

do voo oblíquo das sílabas acalento a alma

há tardes em que sento no coração do rio

 
LÂMPADA DE HOLDERLIN PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

(A lâmpada de Holderlin desnuda a lauda

o revólver de Breton rende o poema)

Lâmpada de argila

 
RECIFE DE MINHA COMOÇÃO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Recife, cidade sem corpo

só pedra e rio

e plumas de cães sorrindo

 
A POESIA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

A palavra anima a coisa

(não a alma)

retrata-a mas completa

 
O GRANDE POETA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

O grande poeta liquidou

com bom pesticida a palavra

(e sua lavoura de larvas e sílabas)

 

 
VISÕES MARINHAS ATLÂNTICAS METAFÍSICAS DO HORIZONTE SEM CORPO SINTAGMAS DE ÁGUA (MARCIANA) PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Luz de altíssimos abismos, vacilantes imos

fundas cintilações de lata

quilates vertiginosos do início lato (termo)

 
AVALIAÇÃO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Precipícios melancólicos

abismos submersos no lírio do verbo

autoconsciente odor danoso canino

 
RAIZ DO VERBO E USURA LÍRICA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Poema

moeda cansada, útero monetário da palavra

esperança que lastro de culpa espalha

 
APÊNDICE AO POEMA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Levante: pódio donde a luz do sal

com o arco crepuscular dardos atira no azar

e insípido rosnar de brilho

 
VISÃO E VERTIGEM PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Velórios aprendem a chorar desde pequenos

a solidão do féretro enriquece a dor

funerárias amam a morte

 
A HIPERMETAFORIZAÇÃO NO LITERÁRIO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

O termo metáfora designa bem mais que comparação abreviada. Por isso, esta figura de linguagem pode alcançar uma dimensão muito além do conceito que se constrói em torno do verso "A mulher é uma flor".

 
LAUDO ÚMIDO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Quem avalia

êxtase da saliva

durante o beijo?

 
A ETERNIDADE É INÚTIL PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

(CRIAÇÃO DO HOMEM DERROTA DE DEUS)

 

Não há porque duvidar

da severidade humana

mas porque duvidar

 
SINCERIDADE PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Quão idiota a poesia vital

aborrecida e complicada sobretudo

sobretudo indecorosa

 
LOUCA AMPULHETA DO TEMPO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Ao presente, imprevisível presente nu

O pecado é não almejar a eternidade.

Seus ossos e carnes sem dores ou grito.

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>

Pág. 5 de 67

INFORMA DIGITAL

Revista Urubu

Singular

Papel Jornal

Jornal O Monitor

Textos Agrestes