Murilo Gun

Quem está online

Temos 11 visitantes em linha

Assista

Admmauro Gomes

Siga-nos



ANÍBAL PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   
Terça, 11 Setembro 2018 22:55

A destruição de Cartago

fogo cartaginês virando cinza

foi-se como nuvem do céu vadio

crepitou o túmulo de Aníbal

seus ossos tornaram-se pássaros

o sal largo do seu peito

de onde medalhas de sangue brotaram

virou harpia e descorou em azul

a treva que brilhou de seus olhos

era feroz

as chamas heróicas do coração

se apagaram para todo o sempre

suas batalhas eram deuses

que nele se entocaram.

 

Recordo agora sua garra, sua fúria

o som de seu escudo contra imigas lanças

e o adro duro do seu rosto

e a nudez de sua dor vencido

e o sorriso aberto e lauto de seus inimigos.

Deleta Cartago, apaga seu nome

olvida seus feitos, negue-se a história

do eterno Aníbal

que escravizou povos

e subjugou o mundo.

 

Não sara a memória.

Não cede o ímpeto.

Os fatos passam. Os feitos ficam.

O de Borges e o de Aníbal.

 

Comentar


Código de segurança
Actualizar