Murilo Gun

Quem está online

Temos 26 visitantes em linha

Enquete

O que você achou do nosso site ?
 

Assista

Parceiros

Admmauro Gomes

Siga-nos



CONCEITOS PARA ALICERCE DA POESIA ABSOLUTA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

A poesia não é do reino das ideias deste mundo.

A poesia é o nascimento da palavra. Seu reino

é no homem (capaz do expandir a mente).

A poesia é o império do imaginário.

A prevalência da imaginação sobre a sensação

A existência (é) das palavras.

O ser é uma palavra. Deus, outra

As substâncias são palavras.

O poeta identifica sujeitos díspares. Não é singular.

A imaginação poética é capaz de engendrar

(e expressá-lo) no âmbito livre do pensamento

coisas tais que a mente lógica não pode aceitar.

Como Aristóteles não o faria.

Tudo consiste em indisciplinar rigorosamente a imaginação.

Por isso a faculdade da imaginação completa

é considerada da laia esquizofrênica. E

condenada pelos pensadores racionalistas. Que

prosaicamente dão de ombros a ela: coisa

de poeta.

No período clássico da civilização francesa, cuja

cultura estabelecia padrões filosóficos, poéticos

políticos, em sua generalidade, culturais

(século XVII e XVIII), a imaginação

era associada à irracionalidade, divagação,

nonsense, rebeldia, instinto

traços ou prolegômenos da loucura. Pascal a

considerava anômala, marginal porém

poderosa, maior do que a vontade. Idem, a

razão. A condição humana não ser

joguete da imaginação era a principal frente

de batalha da razão.

 

A poética absoluta não é mais nada do que

a imaginação assumindo nova forma, aperfeiçoada.

É o mais inocente e perigoso

dos bens humanos. A imaginação em sua

força máxima coloca o imaginante a um grauzinho

da loucura. Daí os poetas...

 

Comentar


Código de segurança
Actualizar

INFORMA DIGITAL

Revista Urubu

Singular

Papel Jornal

Jornal O Monitor

Textos Agrestes