Murilo Gun

Quem está online

Temos 34 visitantes em linha

Assista

Admmauro Gomes

Siga-nos



LinkLoko 2
BORGES ELE MESMO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   
Quarta, 14 Agosto 2013 19:32

GENEALOGIA

Do lado paterno, a partir de Francisco de Borges, casado com Maria Antonia Cardoso, vem Francisco de Borges (1782/1837), nascido em Portugal, que se casou com Maria Del Carmen Lafinur, de Córdoba (Argentina), gerando Francisco Isidoro Borges (1832/1874), nascido em Montevidéu, que se nupciou com Frances Ann Haslan (1842/1935), inglesa, avós de Borges, que gestaram Jorge Guillermo Borges (1874/1938).

No ramo materno, a partir de José Suárez, casado com Catalina Pérez, vem Nicolas Suárez (1744/1820), nascido em Cádiz, casado com Maria Leonor Merlo (1758/1835), que gerou o Coronel Isidoro Suárez (1799/1846), casado com Jacinta Haedo, cuja filha, Leonor Suárez (1837/1918), uruguaia, nupciou-se com Isidoro Acevedo (1828/1905), gestando a mãe de Borges, Leonor Acevedo (1876/1975).

 
A POESIA TEM O SENTIDO QUE LHES DOA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   
Quarta, 14 Agosto 2013 19:29

Odisseus Morales

A sua intenção (de Vital) é derrubar o significado – SJ

A poesia de Vital Corêa de Araújo opera como se o emprego inusitado, a conjunção desconcertante de palavras, formando estranhos sintagmas, exigisse a suspensão do significado. São tecidos de signos revestindo um universo de silêncio e perplexidade (anunciando angústias entre candelabros e tempestades).

De certa forma, o poeta explora e aprofunda o sentimento de angústia, entranhada mas não conscientizada, que avassala a condição humana, em especial nesse dealbar do terceiro milênio, onde a situação do ser-no-mundo tende para o nada.

 
REVÉRBEROS DO SAL SUBLEVADO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   
Segunda, 12 Agosto 2013 19:51

REVÉRBEROS DO SAL SUBLEVADO

Sal da palavra na página reverbera

(gotas de salina luz orvalho coleciona

escudo de lampejo

e sede do lábio

para defesa do brilho longevo

reflexo do mangue primal quando o desejo

tem forma de caranguejo)

 
QUATRO POEMAS PESSOAIS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   
Segunda, 12 Agosto 2013 19:45

QUATRO POEMAS PESSOAIS

ULISSES

Só as paredes confesso: meu nome é Ninguém.

 

IR-SE

Vai-se rosto num vórtice supremo

(fica máscara vazia ao relento).

 

 
QUATRO POEMAS PESSOAIS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   
Segunda, 12 Agosto 2013 19:45

QUATRO POEMAS PESSOAIS

ULISSES

Só as paredes confesso: meu nome é Ninguém.

 

IR-SE

Vai-se rosto num vórtice supremo

(fica máscara vazia ao relento).

 

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 Seguinte > Final >>

Pág. 3 de 7