Murilo Gun

Quem está online

Temos 189 visitantes em linha

Assista

Admmauro Gomes

Siga-nos



LinkLoko 2
É curioso ver como MCCA encara o passado que ela vive PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   
Quinta, 01 Agosto 2013 20:12

É curioso ver como MCCA encara o passado que ela vive, come, cospe, mastiga, engole, vomita, ensaliva em suma com o sumo de sua adiposa volúpia e astutas mucosas cavalcantis.

Ela está sempre presente na ficção que cava e nela se enleia meio que protagonista. É a sobrinha em Luz do abismo, e a Maricotinha, em Olhos negros. Quem será em Matias?

Seu papel: dar viço, tensionar ou até relaxar o ambiente, as pessoas romanceadas, para que urrem nuas gozem.

Mas, Maria Cristina, adota uma estratégia ímpar.

 
DOS OLHOS ABORTO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   
Quinta, 01 Agosto 2013 20:10

Lastro espúrio, estalão desmoronando

como areia desenraizada

tolo ouro olho da quilha avara

de um diamante marinho

cemitério de náufragos brilhos

contemple antes que estrelas pereçam

e egos idólatras  todos congelem.

 
DESDE RIMBAUD PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   
Quinta, 01 Agosto 2013 20:09

Desde que Rimbaud, com o demônio de seus sintagmas, chocou o pensamento lógico enlouquecido pelos “fósforos cantores”, nunca mais um estremecimento lírico deixou de percorrer as vértebras do verbo ou a espinha dorsal da alma do leitor poético.

A catarse ou o desprezo, a unção ou o protesto, o eterno ou o efêmero, a infinitude ou o limite percorrem os espíritos como espinhos de rosa e nunca mais a poesia deixou de ser divina de tanto humana que é desde Rimbaud.

 
CONFISSÕES PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   
Quinta, 01 Agosto 2013 20:06

 

Confissões (de mim e dos outros)

ou memórias do cabide

onde dependuro meu ego vão

ou ideias brotadas

da bacia do inconsciente (desbordada)

tina que aduba de água cônica

a horta do outro em mim

para que frutos não se compadeçam

 

 
CÍCERO FELIPE: UM RELÂMPAGO VERBAL. PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   
Quinta, 01 Agosto 2013 20:03

Vital Corrêa de Araújo

Cicero Felipe (16 anos) é um Poeta. Ponto final. Digo, afirmo, confirmo, e assino em baixo. Pobre, jovem, interiorano, trabalhador desassalariado, lutador pelo pão diário, ao lado da mãe – Dona Mary -, uma verdadeira heroína nesse país de heroínas, mulheres que afrontem o destino madrasto, e vençam, pois a vitória está na dignidade da luta e no desabrochar dos filhos para a vida.

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 Seguinte > Final >>

Pág. 6 de 7