Murilo Gun

Admmauro Gomes

Quem está online

Temos 62 visitantes em linha

Enquete

O que você achou do nosso site ?
 

Assista

Parceiros

Siga-nos



PoesiAbsoluta
PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Som de tristíssimo junco

angélico eco causando

andino cântico de sal

 
POEMA. COMO? PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Consecusão de um indesejo

Realizado de involuntariedade.

Não ver poema com sentimento

 
OUTRAS FRASES PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

FASE B DO POEMA ABSOLUTO.

Chegar a estágios de compreensão

do que seja poesia absoluta.

 
VISÕES SAMURAIS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

A eternidade espera na encruzilhada das estrelas.

Jorge Luís Borges

E era uma sombra feita de duas.  VCA

 
CONFISSÃO SETE PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Observo-me do pódio

da escada(sem anjos) de mim mesmo

(ara crua da vida nômade e muda).

 
A SOLILOQUIAR VOU PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

(Confissões do poeta)

A soliloquiar voo, pássaro sutil

de canto inclinado ao levante

 
SENTENÇAS AZUIS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

(dísticos intestinais)

Pessoas cultuam tardes ou hieróglifos

Algumas são especializadas nos vazios

 
O RITMO VITAL PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Cláudio Veras

Vital usa em seus poemas o ritmo como fator construtivo, daí a aparente desorganização lógica (predicativa)

 
SOBRE AS HORAS DE DEUS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Sobre horas debruçaram-se

hostes do espaço estacionadas

nos ombros de Atlas

 
POESIA? PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Poesia não é... dizer... ou

querer dizer.

Se apenas a palavra diga queira ou não

 
DEDICATÓRIA FINAL PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

à medusa de olhar de pedra decapitado

a Perseu condenado à vitória da vaidade

a belerofonte devotado à vaidade da vitória

 
SENTIDOS VERBAIS VIVOS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Galgo silêncio, salto

limites, alço-me ao ouvi

sobre desamparo uivo vivo grito

 
APÊNDICE AO POEMA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Levante: pódio donde luz do sal

com arco crepuscular dardos atira do azar

e insípido rosnar de brilho

 
POESIA RUMOR DE CRISTAL E CHAMA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Vital Corrêa de Araújo

A poesia que se decifra na paixão pela palavra também se exprime no prélio entre cristal e chama, entre diadema e pássaro,

 
VIOLINO DE PUNHAIS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Rigor de azul e de horizonte.

Lá onde rosna minha solidão

está a dor

 
OFERTA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Há gotas de rócio

joias suspensas num escrínio úmido

(pepitas da bateia natural do paraíso)

 
POEMA DE VIDA E MORTE PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Do urdume intacto da hora

vem a trama, o novelo

que entranha a vida

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>

Pág. 8 de 79

INFORMA GARANHUNS

Jornal O Monitor

Revista Urubu

Singular

Papel Jornal

Textos Agrestes