Murilo Gun

Admmauro Gomes

Quem está online

Temos 97 visitantes em linha

Enquete

O que você achou do nosso site ?
 

Assista

Parceiros

Siga-nos



PoesiAbsoluta
A POESIA, SEGUNDO VALÉRY PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Vital Corrêa de Araújo

Segundo Valéry, a poesia busca o que há de íntimo em tudo,

 
VB PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Não   +   lectio

Não   +   meditatio

Não   +   oraiso

 
NASCENTES AGONIZANTES PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

A medicina cria pessoas doentes

a matemática, pessoas tristes

e a teologia, pecadores.    Lutero

 
ASPIRAÇÃO DO POETA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Aspiro comunicar-me com a solidão

esse reduto – quase inacessível – do ser

(que não é ocidental ou dissimulado)

 
DÍVIDA DANTESCA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

(Virgílio abandonado

como Enéias a Dido)

Dante despreza guia que lhe ensinara

 
QUEM CLAMA NESTE QUARTEIRÃO DE SOMBRAS? PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

(P. Celan)

Da busca dos olhares troca de dúvidas

no tom despedaçado música de vagares

 
TREVA E MANHÃ PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

às dádivas do esquecimento

à víscera dos atanores

ao fígado dos arúspices

 
VITAL QUALIDADE SÔNICA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Cláudio Veras

Há no verso de VCA o que chamamos de qualidade sônica, crótalo de aliterações, nós de sino, música consonantal.

 
IMPRESSÕES DO CREPÚSCULO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

(oito dísticos disfarçados)

Escritura de relva ou argilas da alma

letras que o espírito da terra amanha.

 
POESIA E (IN)COMUNICAÇÃO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Vital Corrêa de Araújo

Eliot: o poeta fala a ninguém. Ulisses é o leitor.

 
EXPOETA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Branco e ébrio papel mancha da mácula

(culpa da tinta

ósculo da pena na página

 
APÊNDICE AO POEMA ANTERIOR PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

À beira do éden, Dante

já ouve a aura

mover o arvoredo

 
VOGAIS ADORMECIDAS SÍLABAS ABANDONADAS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Só a poesia salva

liberta a palavra

funda o mundo sua morada

 
AGONIA VIVA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Sombra dos barcos naufragada

âncora do desespero levantada

eito das águas doloroso

 
QUADRAS SONORAS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Candelabros de novembro debruçados

sobre sombras de bronzes adormecidos

rijos vórtices de perfumes incensando

 
CORPO PARTIDO TEMPO MUTILADO ALMA DEVASTADA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

(poema filosófico e humano

rente à axila de anjo)

À Morte

 
RE-CONHECIMENTOS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Tardes dormem nas indomadas

veias dos amantes

Um porco conheceu Odisseus

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>

Pág. 10 de 79

INFORMA GARANHUNS

Jornal O Monitor

Revista Urubu

Singular

Papel Jornal

Textos Agrestes