Murilo Gun

Admmauro Gomes

Quem está online

Temos 67 visitantes em linha

Enquete

O que você achou do nosso site ?
 

Assista

Parceiros

Siga-nos



PoesiAbsoluta
POEMA E POESIA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Há uma certa (ou incerta) confusão entre poema e poesia.

 
O QUE É POESIA? PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

No Brasil – à exceção de alguns críticos como Bosi, Massaud Moisés, Luiz Costa Lima, Ivan Junqueira e Secchin da ABL, Sébastien Joachim e César Leal – ninguém sabe o que é poesia.

 
O QUE HAVIA NO MEIO DO CAMINHO (?) PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

No poema que abriu seu primeiro livro – Alguma Poesia (1930), título já prenunciando a arguta ironia drummondiana – Carlos Drummond de Andrade afirmou: “Quando nasci, um anjo torto/desses que vivem na sombra, disse:/ vai, Carlos, ser gauche na vida”.

 
TEM RIMA MAS É POESIA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

O reflexo do náutico rosto de Narciso

É assassino.

Sou tão infinito

 
DESFEITOS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

A garganta dos obesos é um poço sem fundos

e de certezas abaláveis é feito poema.

Cultivo sede e abrolhos. Sempre.

 
NUNCA VÁ PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Não vá contra o fluxo, nem se banhe

duas vezes num mesmo rio. Ou em outros.

Vá contra a corrente comum, vá contra

 
FRAGMENTO (TERÇO FINAL) DE TEXTO 3 DE CLÁUDIO VERAS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Encanto, douçura estranha, atração mental, tudo causa a poesia absoluta (na pessoa normal), estupor e sideração também, além de delicioso desespero.

 
16 POEMAS DA PRODIGIOSA OU SIGILOSA DEMASIA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

(poemas inobjetivos de sentidos foragidos)

Da coletânea em formação A rigor

A poesia absoluta é uma religião

 
INEXPLICAÇÃO NECESSÁRIA (parte do introito) PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Isso não é um romance, um romance meio que instantâneo e sem causalidade física, psíquica, emocional, porém com complexidade extensa e dotado de particularidades excelsas. Caracterizado por singularidade absoluta.

 
TEMAS VITAIS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Escrevi depois sobre estereótipos graxos

e pontos cegos e fugas cônicas além de agravos

regimentais e arquétipos antediluviano

 
TABU FINDO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Jacques Ribemboim, presidente da CIVITATE, entidade com sede na Rua Velha que se dedica a recuperar e preservar a riqueza urbana daquela área depois da Ponte Velha, teve a idéia mais do que brilhante de desmistificar

 
UM LUGAR PARA ENCONTRO CONSIGO MESMO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

O professor (de inglês, direito e administração) José Rodrigues, de quem sou hóspede contumaz, num lugar pró-paradisíaco, O Retiro das Águias, e eu-VCA – costumamos conversar, drincando uma Finlandia Vodka - a de álcool de cevada de 7 fileiras cultivada sob o sol da meia-noite, e de água de degelo da primavera do pólo.

 
VERSOS SOLTOS LIVRES COMO A LIBERDADE PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Solta o verso, poeta. Abandone o ábaco.

Apague o charme. dissolva a fama.

Disperse o ego na multidão do id.

 
POESIA É CATEQUESE E INVENÇÃO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Sapo pula, silêncio de água ondula, charco

mija, veloz acalma a pausa, o mundo

roda ao contrário do idiota senso, a

pele rebelada contra o poro morre.

 
TÔ EM FLOW PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

PARA IMERSÕES POÉTICAS CURATIVAS TALVEZ.

Aja hoje e não no nu amanhã.

Ate-se a agoras, despreze depoises.

 
TEXTO ANTI PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Este texto escrito do pântano, dos brejos de Água Preta, à madrugada de 17 a 18/12/2015, trata da carência que enfermiza e infertiliza professores e que redunda em ato e fato de alienação literária, efeito sistemático da ausência de talentos, decorrência portanto de deficiente preparação.

 
CÉU - ESTÁBULO DE ESTRELA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Do doloroso e verbal ventre náufrago

ou cúbico o veio do poema sulca a página.

À serpente que destrua

 
RESPOSTAS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Por que escrevo (pratico, faço, urdo) poesia?

Porque vou morrer.

Faço, armo, crio, componho

 
VISÃO DO PARAÍSO (2) PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

O paraíso é lilás. Não é azul. Nem branco.

Seu portão (majestoso angelical) é de acrílico puro e

bem blindado: pelos três rios magnas minerais.

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>

Pág. 2 de 56

INFORMA GARANHUNS

Jornal O Monitor

Revista Urubu

Singular

Papel Jornal

Textos Agrestes