Murilo Gun

Admmauro Gomes

Quem está online

Temos 49 visitantes em linha

Enquete

O que você achou do nosso site ?
 

Assista

Parceiros

Siga-nos



PoesiAbsoluta
VITAL QUALIDADE SÔNICA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Cláudio Veras

Há no verso de VCA o que chamamos de qualidade sônica, crótalo de aliterações, nós de sino, música consonantal.

 
CORPO PARTIDO TEMPO MUTILADO ALMA DEVASTADA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

(poema filosófico e humano

rente à axila de anjo)

À Morte

 
RE-CONHECIMENTOS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Tardes dormem nas indomadas

veias dos amantes

Um porco conheceu Odisseus

 
INTERESSE DA POESIA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Valéry embriagado, bebeu

brisa que sopra

sobre sepulturas

 
VINDA E OUTRAS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Venho do silêncio branco das cartilagens

dos cisnes e das medulas da véspera.

Venho da tênebra e do círio

 
IMORTAL PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

ei-lo que brota cardo íntegro

sem murmúrios de água

ei-lo frota singrando na sede

 
MORREU HENRI MICHAUX DE NAMUR PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

“De mãos vazias vou ao reino noturno

ao barro final dissolver o ser, eu

que vivi a eternidade

 
O POEMA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

aos bês da Besta: Blair e Bush

(dublês da treva)

Como se aportasse na aurora dos significados

 
VELHO ESTILO NOVO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

À véspera da lua

A Rogério Generoso

A sombra dos objetos alongando-se como hóstia

 
POEMAS NOVOS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

A Catedral, Esses seis círculos

Velho estilo novo, Falha na relva

Morreu Henri Michaux de Namur

 
IMPRESSÕES DO CREPÚSCULO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

(oito dísticos disfarçados)

Escritura de relva ou argilas da alma

letras que o espírito da terra amanha.

 
TRÊS POEMAS MAIS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Página de lírio reveste

cálice de amendoada volúpia: da boca

hiante  do abismo me sirvo

 
LEITURA (CORRETA) DE POESIA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Vital Corrêa de Araújo

Se, ao lermos um poema, dirigirmos a atenção centralmente ao que ele diga, à mensagem que contenha, sem atentarmos à forma dessa mensagem,

 
QUÂNTICO DE LOUVOR À VIDA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

(ou quase elegia surda química)

Vida, hábil teia que esmo torce

acaso cria com sumos cavos

 
FORMA POÉTICA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Vital Corrêa de Araújo

O leitor de poemas neomodernos precisa saber que no texto literário (na linguagem poética), a palavra é sentida como palavra e

 
FALHA NA RELVA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

(OU BEBEDOURO AGRÁRIO)

Abelhas se enturmam na parra

corroboram melodia de colmeia, mel de animal ternura

 
A CATEDRAL PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Flagrei Valéry

a contemplar a eternidade

da varanda

 
ESSES SEIS CÍRCULOS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

A fama pesa como a febre

a realidade como invenção que foi

a invenção como realidade que é

 
POÉTICA E EMPIRIA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Cláudio Veras
Na escritura poética de Vital é preciso renunciar a toda aborrecida montra teórica academicamente disponibilizada

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>

Pág. 3 de 64

INFORMA GARANHUNS

Jornal O Monitor

Revista Urubu

Singular

Papel Jornal

Textos Agrestes