Murilo Gun

Admmauro Gomes

Quem está online

Temos 63 visitantes em linha

Enquete

O que você achou do nosso site ?
 

Assista

Parceiros

Siga-nos



PoesiAbsoluta
PREDICADOS VITAIS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Vidro áspero de inóspito azul

possuo.

Quando cabralianamente compõe poemas, Valéry

fuzila: os acontecimento me aborrecem.

 
SOB CÉU ESCURO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Sob céu escuro

atravessado de luzes enfermas

a noite assume ar prostituído

 
O AMOR PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Amantes não são feitos de mármore

(frutos de entalhes e sacrifícios vitais)

não os cumulam anelos frágeis

 
U(POEMA) PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Turbas urbanas abandono

busco das agrárias nascentes

demônios rurais

 
APTO BRILHO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Ela via muro saqueado de musgo

respiração do bolor, vândala

tibieza das coisas totalitárias (acerando o macio)

 
NO ENTANTO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Palavras que a vida mais do que o dicionário lhe dá recomendando ainda que use mais de silêncio que de palavras. CDA

 
BELEZA ABSOLUTA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Narciso perde-se na busca

da beleza absoluta e se consuma

no recôndito sítio e impuro

 
ROSA NÃO RASTEJA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

À flor que se eleve

da haste que rasteja

desde a seiva viva

 
DÉCIMO POEMA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Luz é raiz... e âncora de matiz quântico.

Cultivo um jardim de raiva no escuro.

Só à república de triângulos resisto.

 
1ª ORELHA DE SILO DO SILÊNCIO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Vital excede. Como poeta. Faz jús à multa

por excesso de bagagem metafórica

em seus voos herméticos e inconstantes.

 
DIÁLOGO DO PRADO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

O único diálogo socrático

que tem por cenário o campo

ocorre quando Platão encontra

 
RUMOR RUMORES PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Rumor contagiou de câmaras a tarde

declinada sobre os olhos do sono

a instigar íris mortíferas da noite.

 
SONHO DE CERA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

(Como cera sustentando sonho de Icaro)

luz esquálida e total derramada

da bacia inerte do planeta

 
DESESPERO DE PAZ PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Em toda a vasta antiguidade, levada pelos ventos mediterrâneos, ressoava a má nova e, respeitosos, gregos e romanos ouviam, impassíveis e doloridos, o grito  que varria as águas e fazia eco nos velhos armazéns da alma: o grande Pã morreu!

 
1968 PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Quem usurpou as orquestras

e embriagou caminhos?

Quem emudeceu  as sementes

 
QUESTÃO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

A tona da verdade (como a beira do

inferno ou a borda do abismo) não é redonda.

Qual a cor e o jeito dela?

 
TIME POÉTICO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Criatura de pó e pluma.

Isso é luz ou ouro?

Trêmula flauta de osso.

 
VITALIANAS NOVAS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Afogue e ganso no hímen do abismo.

Venda a vida à vista, mas dê o necessário

desconto temporário.

 
CIORAN E DEUS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Cioran em A arrogância da oração é lírico, preciso excelso.

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>

Pág. 3 de 54

INFORMA GARANHUNS

Jornal O Monitor

Revista Urubu

Singular

Papel Jornal

Textos Agrestes