Murilo Gun

Admmauro Gomes

Quem está online

Temos 6 visitantes em linha

Enquete

O que você achou do nosso site ?
 

Assista

Parceiros

Siga-nos



PoesiAbsoluta
MANDELSTAN DIXIT PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

A citação do poeta russo Mandelstan, no meu 2º ou  3º livro, dos idos de 1983, foi uma indicação de que não me curvaria a pressões para enveredar pelos caminhos comuns do verso medido e rimado, do retorno à forma herdada e conservada quase automaticamente por quem se diga poeta, hoje... e ontem.

 
POEMAS QUE A NOITE UIVA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Gusanos nos acreditam frutas

açougues, renúncias.

Por que choram anjos?

Suas lágrimas enchem bacias de mágoas.

 
POEMA INCOMPLETO DOIS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

(DA HORA DO ÂNGELUS DE UM ADRO DE 2000)

ao cruel abril da página

Vocábulos de cavalo (e ternura) me chegaram

à boca incompreendida (ou selvagem)

esperei na página urgente vertigem

 
NOTAS (16) PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Essa mania, essa anelo artificial de perfeição formal externa, essa arte de relojoaria verbal e ourivesaria rímica, essa performance métrica, esse lavor versificatório todo, tudo é insincero, falha de originalidade, artifícios forçados.

 
A ESTIRPE ETERNA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Vi minha estirpe beber como cães

vi chacais rasgarem-me os ébrios olhos

sob um céu cambriano e vagaroso

 
O POETA PELEJA COM O ANJO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

(COMO RILKE)

A peleja com o anjo

se dá no ringue da página

 
PARAEPÍGRAFES PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Baudelaire tinha o profundo sentimento de que o horror de viver não pode ser consolado pela morte nem substituído pela glória de ter algo.

 
RIDICULUS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Na poesia absoluta, repete-se apenas a ideia mallarmeana de que o verso constitui in totum uma palavra e que o mundo termina num livro (contém-no e o incontém), independentemente da ideia em que subjaza.

 

 
POESIA ABERRANTE PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

A resultante da filosofia americana do século XX, a vertente pragmatista, que privilegia o senso comum, a vida prática, a ação técnica, marcada pela reflexão sobre o poder das crenças, da fé, e pela vontade de elaborar e estimular hábitos de racionalidade, voltada a ancorar e desenvolver e fortalecer a conduta das novas elites na direção de novas e concretas verdades capitalizáveis.

 
FLUXO VITAL DE INCONSCIÊNCIA EM ATO 2 PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

1.Excavo (com x, pois o objeto é o id), além das impassíveis escavações, que faço, dia sim, outro não,...

 
ALVO IMPERECÍVEL PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Destro arco porte

ágil presa da mão

retese-o com fervor

 
EPÍGRAFE DE OCTAVIO PAZ PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

(ALICERCES DO POEMA ABSOLUTO)

1.A irrupção de expressões prosaicas no verso

que se inicia com Victor Hugo e Baudelaire

 
POEMAS DE OUTUBRO 2015 PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Nuvem que o outono apoda

de tentações venéreas

vesânias poderosas (e irredutíveis)

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>

Pág. 5 de 69

INFORMA GARANHUNS

Jornal O Monitor

Revista Urubu

Singular

Papel Jornal

Textos Agrestes