Murilo Gun

Admmauro Gomes

Quem está online

Temos 13 visitantes em linha

Assista

Siga-nos



O POEMA ABSOLUTO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   
Terça, 30 Agosto 2016 20:38

(especial para o grupo teoria e prática da poesia absoluta).

O poema absoluto na realidade é hipnótico. À primeira vista, estranho, tende-se a afastá-lo de si, dos olhos e mentes leitoras.

No entanto, a reação é anti-hipnótica: quer-se livrar do efeito medusante, paralisante, devorador do ente fruto do verbo de barro. Sua complexidade penetrante, seu hermetismo atraente exercem um efeito seduzante, ao qual a primeira reação involuntária é evitar, porém logo o estranhamento torna-se encantamento. E algo irresistível leva-o (a leitor absoluto) a bordo do poema, a ir – como Rimbaud bêbado – embarcar na ébria barca dos sentidos.

 

Pode-se afirmar que o poema absoluto beira a linguagem do desejo oculto.

 

Comentar


Código de segurança
Actualizar