Murilo Gun

Admmauro Gomes

Quem está online

Temos 47 visitantes em linha

Assista

Siga-nos



É O POEMA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   
Terça, 05 Dezembro 2017 22:48

De mínimo mundos e somas finitas

de assertivas vãs e obliquas introsões

de minúsculas mandíbulas (verbo-carnivoras)

de carbono azul e atentas minuncias é o poema.

 

Tanto um parco grão quanto

o mero cosmo são o poema.

 

Abandono que carrega cansaço

tédio que alimenta sonho

veia que inflama ser

som que atenua medo

tudo são poemas.

 

Comboio de cães vadios

viralatando a latir avenidas escusas

é o poema.

 

Comentar


Código de segurança
Actualizar