Murilo Gun

Admmauro Gomes

Quem está online

Temos 76 visitantes em linha

Assista

Siga-nos



ORGASMOS VERBAIS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   
Quarta, 20 Dezembro 2017 22:47

Procure no poema sentidos cutâneos

(que encontrarás, sob as unhas do verbo).

Ou orvalho de aço surdo encontrarás.

Gozos como punhais, agudos orgasmos do verbo.

 

Poemas enterrados nos cones do tempo

eu nas covas dos pássaros permanecem.

Como se sobrevoassem primaveras.

 

A rosa levanta seus dedos homéricos

sujo de pétalas e aurora o mundo

devora essências fáceis e cardos ou missais

e orna dores de Cristo que caem

do mais alto patíbulo. E adoram gangrenas.

 

Frauta de vértebras grega na página

em decúbito ventral absoluto

e circulo de som poema rural.

 

 

Comentar


Código de segurança
Actualizar