Murilo Gun

Admmauro Gomes

Quem está online

Temos 67 visitantes em linha

Assista

Siga-nos



HORDAS DO FIM PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   
Quarta, 20 Dezembro 2017 22:55

Celestes hordas trovejam

sobre coisas subliminares.

Crateras servem veneno doce da palavra.

Ou vinho do desejo formidável.

Coices de esmeralda catapultam o círio agrário.

Hierarcas bebem da tríade

tramas do verbo e emolumentos do fim

usuras vezeiras e precipícios rurais

embriagam a véspera do espírito.

 

Anjos de súplicas beneméritas lástimas lançam

dos céus a inúteis terrenos corações.

 

Luz pós-elétrica refuta

hierárquicas figuras

e o marmóreo fôlego dos náufragos

se desfaz como saponáceas bolhas enfim.

Embriagados serafins do trino licor escapolem

verdades bordejam, almas luzentes apenas

retornam a estrelas, as mais opacas ocupam

feérico circo do inferno da terra

entre hífen de anjos escorraçados.

 

 

Comentar


Código de segurança
Actualizar