Murilo Gun

Admmauro Gomes

Quem está online

Temos 84 visitantes em linha

Assista

Siga-nos



QUANTA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   
Quinta, 07 Junho 2018 20:07

Quanta alvoradas de nácar e o pala

contém uma noite de madrepérola?

Quanta luz selar enche uma bacia de claridade?

E uma pétala lenta da madrugada

quem resiste à surda contemplação?

Ébrias mandíbulas, quem as lambe?

Pegadas de mordomos aos domingos

quem porventura as encontra?

 

Vida depende do teor de carícias

das cartomantes das esquinas

de mão única.

 

Enquanto Adamastor se masturbava

a montanha do delírio vinha a baixo

e chorava a penedia do rio.

 

Todo desespero é azul

áspero seu cálculo e o amor marrom.

Epitalâmico triste componho

para repouso eterno dos sistemas

aglomerados, consórcios.

 

Comentar


Código de segurança
Actualizar