Murilo Gun

Admmauro Gomes

Quem está online

Temos 84 visitantes em linha

Assista

Siga-nos



SOBRE VELÓRIOS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   
Sexta, 16 Junho 2017 22:31

Sobre velórios cai fria lágrima

temor vivo se alastra

se espalha náusea

cai noite pesada, sombra de pedra

a hora se posterga como um nada

cai túnel de luz amarela, incêndio de prata

cor se esfarela, traços mugem, grita a queda

cai odor a defuntos

enjôo de presuntos

cai olhar sobre face doente

corpo coberto com flores de horta noturna

sobre velórios cai madrugada de gnomes

como anônima

chuva de cinamomos.

 

Laje já se adivinha

(o céu do morto é a tampa do caixão por dentro

e o peso da terra que sobre ela cala

é a única certeza do morto)

 

 

e sua carga fria

sua pedra viva e silêncio úmido.

Só vermes são eternos.

O horizonte da vida é dúbio.

(velório amarelo teu destino).

 

Comentar


Código de segurança
Actualizar