Murilo Gun

Quem está online

Temos 30 visitantes em linha

Enquete

O que você achou do nosso site ?
 

Assista

Parceiros

Admmauro Gomes

Siga-nos



PoesiAbsoluta
Acesse vários links PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

>>MURILO GUN: + de 1.000 fotos e matérias sobre Gun, filho do editor. VCA.

>>POESIA ABSOLUTA: A + nova novidade em poesia. O avanço do novo estilo. Leia mais de 200 ensaios a respeito dessa invenção.

>>Vários livros de poemas como A expensas, O Crepúsculo do Pênis, ID, Hîmen de Mallarmé, Kant não estuprou a camareira.

>>Milhares de textos sobre a verdadeira literatura do 3° milênio.

Leia e consulte e copie deste SITE que divulga a melhor poesia.

>>Leia O MONITOR, jornal com 106 anos de idade, respeitável e centenário periódico. E os editoriais absolutos de VCA.

>>Leia dezenas de números das revistas mais moderna do Brasil: URUBU, SINGULAR, PAPELJORNAL e MONITORANDO.

Contato:  Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript ativado para o visualizar

 
AVISO PUBLICITÁRIO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Especialistas em reencarnações (a cru ou sim)

em suas mãos (leitora crédula incrível).

A preços módicos e lindos parcelamentos via Visa.

 
DILEMA - Crer em Descartes ou em Deus? PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Do destino obscuro dos obscenos anjos trato

neste poema sem estribilhos ou estorvos.

Após ávidas traições o céu acordou e Lúcifer foi

 
POEMA INAUDITO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Vejo a sombra próxima fase (lunar frase) redoma

a terceira face da lua e o seu lado aul ainda secreto

enlutado com a violência urbanizada e cosmopolita ando

 
A FRANCISCO BRENNAD - PRÓDOMO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

A experiência da poesia é o modo dela infletir-se

sobre nós e abonar a alma exprimindo

suas máculas ardentes e profusas submersas

 
TEXTO DE ROUXINÓIS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Texto de pássaro e quartzo, mundo

de comovente mármore

árvore de sono e vigília, ramos

 
PASTOS DE SÍLABAS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

A devorar nuvens

e algodão de ovelha

cego pastor de dias desertos

 
ARITETIA DO POEMA E DESVISÃO DO MUNDO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

O poema pode constituir, abranger, ser

uma mera e simples parcialidade

algo intranscendente que vele o real

 
PALAVRA CLARA OU ESCURA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Clareza e obscuridade em poesia são conceitos relativos. Só se é claro ou obscuro para alguém, para um público determinado pelas suas (in)competências literárias e expectativas estéticas.

 
POEMA ABSOLUTO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

A poesia reside no uso alternado do signo verbal, de modo a destacar o significante, a palavra, pois o poema é nada menos do que um objeto de palavras.

 
O ID E O POETA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

O poeta comum observa pelo menos três estágios para construir um poema.

 
AO LEITOR NO LIMBO DA POESIA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Aglomerados de limbo apinhado de culpas

sufocado de gritos imperdoáveis e petições inúteis

carniças à Baudelaire ornamentando podremente

 
POR QUE NÃO FALAR DE LUA POR FALTA DE ASSUNTO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Graças ao pesadelo do dia a dia vivo

a esgueirar a lua da janela do cubículo

da Visconde de Jequitinhonha 2390

 
CONCEPÇÃO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Que inóspito hóspede sente-se (e sinta?)

à mesa deposta, mastigue bisquis

acepipes estupendos devore

 
ACONSELHO AOS POETAS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Nunca dizer mesmas coisas três vezes

sobre a mesma coisa ou com

mesmíssimas palavras (indispensáveis)

 
O QUE É POEMA? PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

O poema é uma valsa

de sílabas descalças

condessas caretas

 
A MINHA LEITORA (Rosto abandonado) PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Arranque, leitora, a máscara

ela é maquiagem, o rosto base.

Comece a decifrá-la (máscara)

 
FALTA DE CLAREZA E COMUNICAÇÃO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Palavras são palavras (e nada mais do que isso, o resto – é literatura, são outros quinhentos delírios), imagens são imagens, sensações são sensações,

 
POESIA FORMA DE LUTA (LIBERTAÇÃO) PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

A poesia é uma forma de luta (contra as forças que intentam congelá-la, represá-la, submetê-la à inércia e ao estabelecido).

 
O NOVO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

A substituição das gerações e vital à literatura – em especial à poesia – e é uma necessidade apodítica, representa a injeção de novo ânimo,

 
SER TIGRE PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Tigre não sou eu

é um estado do espírito

organizado lídimo ato

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>

Pág. 1 de 50

INFORMA DIGITAL

Revista Urubu

Singular

Papel Jornal

Jornal O Monitor

Textos Agrestes