Murilo Gun

Quem está online

Temos 36 visitantes em linha

Enquete

O que você achou do nosso site ?
 

Assista

Parceiros

Admmauro Gomes

Siga-nos



PoesiAbsoluta
AMOR A SÁBADO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Amo sábado e sua sede nômade

manhãs beduínas e loucos relicários

(além da certeza branca dos domingos).

 
À SOMBRA DO ÚLTIMO SOPRO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

(Ao pó em que se tornou o alento)

Lançado como data de ferro sobre o nome

(lauda de pedra anônima, lápide derrotada

 
ÀS BARATAS REPUBLICANAS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Da petisqueira de mãe bê

e dona Isabel Cavalcanti bisavó de MVGUN

Baratas saudaram a républica a república da cristaleira

 
ÁVIDA VIDA LÍVIDA FACE INFÍSICA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Todo poema lança na lauda

flores amortalhadas

além das rosas de círio da alma.

 
DUAS PASSAGENS DO ÉDEN POÉTICO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Poemas em que esgrimam ambíguos leitores

prélios insensatos de alfanges ermos

nus de que poetas constroem catástrofes

 
SINOPSE DO ROMANCE PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Este poema começa na página quatro.

As três primeiras (e a zero) perdi-as

quando transcrevia do borrador da alma escura

 
A UM AMIGO MAU PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Entre música e silêncio náusea

pausa nua e búzio

mar arremeda

 
À MORTE DOS PARALELEPÍPEDOS E OUTROS OBJETOS METAFÍSICOS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

À luz rápida das hélices

diviso a palavra pousando no poema

e ouço nítido como o inferno cônico

 
SOB A TENDA DOS SÁBADOS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Sob a tenda súbita dos sábados

afugentar o unguento das mágoas

refugiar-se dos regatos do gozo

 
ESTRELAS DESCALSAS DA CALÇADA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Gumes agrários.

Vasilhas de sal dissolvidas.

Limites são impotentes.

 
PELAS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Poeta é pastor da palavra.

Ser ou eu, tu ou outro: palavras.

Escutar não é sentir.

 
TODO FRAGMENTO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Toda a profundidade do veludo, toda

a fresca devoção ao ocaso, toda

a espessura do crepúsculo, toda

 
ARREIOS, URNAS E BOLHAS DE WALL STREET S.A. PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

a Ectábana

ao paralaxe

e aos patíbulos de ouro

 
TRÊS POEMAS CONTÍNUOS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Júbilo é verbo vaso e nulo

vazio o quanto o espelho

do poema importe

 
DEDICATÓRIA PRIMA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Ao acaso dos cães

à final partilha dos ossos

(aéreos ou não)

 
VIDA BREVE COMO A LOUSA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Tão breve o corpo (a alma calma)

tão leve e frágil que ao último sopro não suporta

desaba... desaparece

 
À FONTE DA MORTE PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

O olho da treva vê tudo.

só escapará desse olhar engaroado

aquele que sinta ternura a mais profunda

 
DEDICATÓRIA SETE PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

A Schopenhauer, o ídolo dos diletantes vespertinos

e ao dolo

às incisões e pinças epistemológicas

 
BARRO ETERNO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Jaz em débil imobilidade jarro

milenares mãos do tempo corroeram de ternura

áspera e de intemporalidade  amoldaram.

 
POR VER PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

...Até que se amaram entre parênteses

(o hífen com a aspa) numa fricção virtual bem prendrível.

O por ou vir do verbo é vital.

 
VÉUS CIÚMES PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Véus tinham ciúmes, linhos inveja.

Morte surpreende o dia

brota do corpo da tarde, invade

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>

Pág. 6 de 32

INFORMA DIGITAL

Revista Urubu

Singular

Papel Jornal

Jornal O Monitor

Textos Agrestes