Murilo Gun

Quem está online

Temos 58 visitantes em linha

Enquete

O que você achou do nosso site ?
 

Assista

Parceiros

Admmauro Gomes

Siga-nos



PoesiAbsoluta
EXPOSIÇÃO SINTAGMÁTICA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Uivo de hiato, sílaba solitária ou ébria

como vareta violenta da bucha abatida

escondendo poção plúmbea

 
NIHIL PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Então, não repito:

esse romance (?) fala de nada e

da vida totalmente sempre, amém.

 
COMPLEMENTO RECUSÁVEL PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

É recusável na forma da imagem

qualquer convencionalidade que artificialize o poema.

Daí só o acaso fornecer a necessária naturalidade ao poema.

 
TALHO ET TREVA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

A palavra em devir

o verso desvairado

o pleno aberto, a veia exposta da verdade

 
ELEMENTOS VITAIS DO CONTO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Ação: atos ou atitudes dos personagens que compõem o enredo: o agir, o fazer, o acontecer, tudo se desenvolvendo em processo que busca um desfecho ou clímax,

 
BULA DE MULHER BÍBLICA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Sítio de bálsamo teu rosto

face residências de incenso

ou metades indecisas de maçãs

 
MARIA CRISTINA CAVALCANTI, CÉSAR LEAL E BLAKE PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Desde que assisti, no apartamento de Deborah Brennand, a César Leal e Maria Cristina Cavalcanti de Albuquerque abraçados à tarefa de traduzir O tigre de Blake e Leda e O cisne,

 
CRIAÇÃO: CARÁTER ABSOLUTO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

O que caracteriza, colocando-o, num patamar inédito, o poeta absoluto, é que o poema por ele produzido em composição livre de regras anacrônicas

 
ROSA DE PEDRA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Rochas circulam em meu sangue

de cães raivosos, as pétalas sabem

das rosas mais urgentes

 
ANTE A MORTE PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Na igreja esquerda do verbo

no resto  da página o peso

dos sinos, a náufraga nave

 
TODO TODA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Toda mordaça de grito

todo pecúlio de silêncio

e a saliência do infinito

 
D’ILUSÕES PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Sonhos ou pedra (da lua talvez)

escolha... abata-se.

Adeus a densas ilusões, adeus

 
A LONGA NOITE DE 30/06/2016 PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

A leveza profunda da mais vital alma saboreia

lento lugar de ser no mundo ínfimo

finito inexato com profusão íntima

 
DERROTA E FUGA DE SENAQUERIBE PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Senaqueribe retorna a Nínive.

Ilesa Jerusalém embala-se com seivas de êxtase, finas volúpias

e sais de estrelas, canções de paz e vitória rubra

 
O POETA VITAL PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Cláudio Veras (de Heidelberg / Alemanha)

 
UMA SINGELA IMPRESSÃO SOBRE ESTRUTURA DA OBRA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Marcondes Torres Calazans
Fez-me um ser absoluto o livro “Estrutura da Obra” do escritor e poeta Vital Corrêa de Araújo,

 
(IN)EXPLICAÇÃO DO POETA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

A expressão é individual, daí o estilo cabralino e drummoniano. Os que se metam a poeta e imitem, glosem, rimem, contem  versos nos dedos, esses não têm “estilo”.

 
ELOGIO DO SEIO ELEGÍACO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Era ela alta de seios férteis

seios atenciosos e sólidos (mamilos vermelhos)

à sanha de meus dedos dedicados

 
EITOS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Sempre coloco sal no solstício

e aveias na véspera à espera

de qualquer ressurreição do silêncio

 
NADA TUDO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Tudo o que oblitera o frio

tudo o que desteça ou retorça o frio

tudo o que não principie sem o verso

 
SOBRE POESIA NOVA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Não se trata da busca do sentido perdido (ou abrir a vital arca do significado),

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>

Pág. 6 de 13

INFORMA DIGITAL

Revista Urubu

Singular

Papel Jornal

Jornal O Monitor

Textos Agrestes