Murilo Gun

Quem está online

Temos 16 visitantes em linha

Enquete

O que você achou do nosso site ?
 

Assista

Parceiros

Admmauro Gomes

Siga-nos

Textos Agrestes



PoesiAbsoluta
A PALAVRA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

O ofício do poeta é o que de mais sagrado restou ao homem. Ele move a hóstia da palavra até que a saliva do verbo a envolva.

 
BREVIDADE PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

O poema longo de 3, 4 páginas é de certo modo e visão uma completa incongruência, posto que o lirismo,

 
VISÃO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Sol de zinco, sinos cegos

lantejoulas claras das noites longas

papoulas de pelúcia, êxtases de plástico macio

 
PROPEMPTIKÓN PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

(Discurso de adeus a quem parte sempre)

Te fruí com desvario

ou fúria íntima

 
NOVAS PÉROLAS DE ZIZEK RECÉM BATEADAS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

“Nossa obediência à lei em si não é natural, espontânea, mas mediana pela repressão do desejo de transgredir a lei”.

 
SOU PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Poeta normal – obediente pleno a convenções

(rímicas, métricas, éticas e etcéticas).

Não da espécie dos que buscam

 
EU VITAL PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Vital é assíduo e firme em perpetrar

sintagmas deformadores completos (da realidade

que todos vemos, sentimos, amamos – somos)

 
TENHO DITO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Se foi por mim que muros caíram

ruíram utopias, sagas se despedaçaram

se foi por mim que o fogo bebeu

 
OS SENTIDOS DE RIMBAUD - (da minha rimbaldina) PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

O poema pós-moderno abandona a opção arte pela arte. Substitui-a pela arte-expressão. Opta por uma estética não redutora a simbolismos, romanticismos, soneticismos, rimismismos.

 
POESIA ABSOLUTA, O QUE É ISSO? PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Quanto a leitor de poesia absoluta, parafraseando o divino peripatético, o demônio estagirista, ele não é leitor qualquer, mas quem é cultivado nessa matéria.

 
VERDES BARONESAS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Baronesas cruzam

em procissões flutuantes

pomposo cerimonial

 
FORMA AUTÔNOMA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Sentimos prazer com a forma autônoma da poesia, livre, absoluta poesia... e somos por ela energizados liricamente,

 
DESDE O SILÊNCIO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Por se tratar de tema essencial a Rogério Generoso, o silêncio poético ganha esse destaque. O silêncio é a fonte a que regressam as palavras.

 
VERDADE (27) PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

A conta da consciência é impagável

Quem-dentre meus loucos leitores

não está inadimplente com o espírito?

 
DOIS NÃOS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Não crio por encomenda de editor ou da perspectiva frágil de leitor possível. Porém, crio de conformidade com meu espírito, não em função de nada menor que a alma.

 
O MUNDO FINDA COM UM LAMENTO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Quando disse que o mundo finda não como uma explosão, mas com um lamento, T.S. Eliot não foi somente sincero porém consequente e preciso, sabiamente exato (não apocalíptico).

 
O CENTRO DO UNIVERSO FICA EM ÁGUA PRETA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

A franca, estonteante e ostentória beleza natural (não canavieira) da paisagem de Água Preta ou, por extensão, de toda a majestosa em seu raro resplendor de Palmares e belos satélites,

 
A ETERNIDADE É INÚTIL PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Gemido de estrela, o big bang da terra,

ecoa sobre uma mesa

a mesa da solidão dos sem-terra.

 
LEMBRAR PAULO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Antes de lembrar Paulo Bandeira da Cruz, o Poeta, tão recatado que guardava livros na memória, para não ser flagrado lançando-os no papel,

 
Quanto a leitor de poesia absoluta PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Parafraseando o divino peripatético, o demônio estagirista, ele não é leitor qualquer mas quem é cultivado  nessa matéria.

 
HOT HOME PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

A experiência do poeta é absoluta impotência pessoal, é pura desidentidadização... e intranquilizadora.

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>

Pág. 2 de 57

INFORMA DIGITAL

Revista Urubu

Singular

Papel Jornal

Jornal O Monitor

Instagran Usina VCA