Murilo Gun

Quem está online

Temos 64 visitantes em linha

Enquete

O que você achou do nosso site ?
 

Assista

Parceiros

Admmauro Gomes

Siga-nos



PoesiAbsoluta
POESIA ABERRANTE PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Vital Corrêa de Araújo

A resultante da filosofia americana do século XX, a vertente pragmatista, que privilegia o senso comum, a vida prática, a ação técnica,

 
O QUE É POESIA, SEM AFINAL PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Poesia é a introdução da palavra na causa escuras

o objeto como meio do fim iniciado

do fim apenas começando o intervalo branco

 
VERBO E MUNDO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Grito de pedra, unguento

de aço e musgo: como o gozo.

Pedra, grito, muro, uivo

 
PALAVRA INDIZÍVEL PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Pausa de cetáceos

silêncio que se autoproclama flauta

de onde advém pássaros.

 
DIATRIBE (VELHO LIVRO) PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Núcleos de hélio quebrando-se

como bancos americanos

as fianças do céu atômico em fúria fiscal.

 
SEDE DO SOL PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Sol enlouque terra

brilhos, fulgores, cânceres aponta.

Aridez ostenta sal

 
POEMAS SÃO GESTAS DO ESPÍRITO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Poema é palavra

posta em cheque

desova de multissentido

 
PORQUE O POEMA É INCREU CRIA SOB PESO INVISÍVEL DA VIDA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

à sublime dissonância da palavra

Forças passionais urdem na página

debacle da alma expõem

 
PASSAM ESPERANÇAS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Passam esperanças como baronesas

na roda lenta da enchente

como nomes cravados nas lápides urgentes

 
O QUE ESTÁS LENDO COMO LÊS QUANDO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Um livro chamado de poesia não é um livro (a não ser que não seja de poesia, embora colete poemas).

 
MÚSICA SELVAGEM PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Baías se afogam no próprio estranho nitrato

musgo se engasgam com feldspatos

bombas bebem sais abstratos

 
NOSTALGIA LÓGICA (ANTIDIÁLOGOS COMIGO MESMO) PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Tudo leva à expiação do sangue.

Nada conduz à consolação do sonho.

Penetre na secreta veia do rio

 
NÃO SEMPRE PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Não quero sombra nem domo

nem os gânglios dos centuriões romanos

busco íngreme aprumo

 
EM 1983, AS EPIFANIAS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Nunca me imaginei poeta, até os 25 anos. Era um técnico, burocrata fazendário (como o fora meu pai – Cláudio Corrêa de Araújo, carreira que empolgou a mim e a meu irmão Pedro Cavalcanti de Albuquerque) e,

 
ONTEM MORRI PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Morri ontem. Ao raiar do (odiado) dia.

A manhã ainda sem pássaro dentro. Vazia.

Sol apenas anunciado por nesgas de luz

 
HORTA INRUINOSA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Sempre plantei joio

e... sempre colhi joio

sem medo ou ficta perspectiva

 
A MORTE DO AMOR PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

A ânsia do barro da vida avança

sobre rosto arroga sua substância:

de medo e certeza mescla

 
BÚSSOLA DO VERBO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Beleza é Verdade. Verdade é Beleza. Poesia é verdade. Goethe e Keats. Quanto mais se adentre na beleza, mais faça sua, mais submirja a vida e a veia na beleza,

 
SALTO QUÂNTICO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

DO ACASO DE UM SINTAGMA À NECESSIDADE DO POEMA ABSOLUTO

 
DO QUE VIRÁ PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Do coração agreste das estrelas vem cor cósmica

eco cristalino da luz se esgueira

vem a sílaba da última ladainha

 
ID (DAS ES) PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Em Alemão, id é “das es” que significa isso ou aquilo.

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>

Pág. 2 de 13

INFORMA DIGITAL

Revista Urubu

Singular

Papel Jornal

Jornal O Monitor

Textos Agrestes