Murilo Gun

Quem está online

Temos 11 visitantes em linha

Enquete

O que você achou do nosso site ?
 

Assista

Parceiros

Admmauro Gomes

Siga-nos



PoesiAbsoluta
NOVOS TEMPOS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

I

Os mortos amontoando-se apressados

e incontínuos prejudicam a vista da guerra.

 
À ONDULAÇÃO DO NOJO EM DÓ MINÓRIO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Ondula o pensamento

como corvo no ar noturno

vazio aumenta o amor e arrebenta

 
AGUDO CATÁLOGO DE ÂNGULOS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Vendo ângulos e catetos

de ótimos triângulos.

Ângulos baços, mas explícitos

 
INEXPLICAÇÃO NECESSÁRIA - (parte do introito) PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Isso não é um romance, um romance meio que instantâneo e sem causalidade física, psíquica, emocional,

 
DE ONDE VENHO? PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Essa filosófica pergunta

tento responder desta página.

Venho de obstruções do instinto

 
LEITOR VITAL (E O MELHOR VERSO) PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Sou um leitor cansável de poesia. Comecei aos 7 anos, com os sonetos do meu avô Manuel Florentino Corrêa de Araújo, juiz de direito e viúvo,

 
SITUAÇÕES POÉTICAS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

O ato de compra é universal, metafísico, direto.

O ato de produção é ontológico.

Vende-se antimorte garantido

 
(A) REALIDADE (É BRASILEIRA) PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Até que os ossos nus falem

e escórias é sábia

e a morte rural.

 
ENQUANTO CREPÚSCULO AFIE NOITES PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Côncava sombra alimenta

crepúsculo mais fugidio

alicia céu

 
SOBRE VCA OU SOBRE O QUE SOBRE DE SUA SOMBRA NA OBRA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Ele, VCA, continua desintacto demais.

Acordei hoje novamente impotente

Cristalino, incrédulo, desconformado.

 
ADJETIVO E UIVO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Rios inaudíveis, tempestades febris

à iluminação dos enxames e do azul

incêndios de vigília e magnólias

 
CONHEÇA O SAL DA PALAVRA E A SEDA DA LUA CONHEÇA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Vá ao silêncio das raízes

ouça rumor da vida da veia da linfa pulsando

impelida por coivaras amestradas, saiba

 
DIXIT VCA FINALMENTE EM RESUMÃO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

A bordo do abismo sigo

cego e vital destino insido

e à poesia crucial sacrifico.

 
TEMPO EM FRAGMENTO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

(do manual absoluto de autoajuda poética)

Às ruminações do louváveis do verbo ambíguo

à palavra escatológica do poema. Em sua

 
O SILÊNCIO DO CLAUSTRO É BRANCO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Embora inacabada a brancura dos claustros

extasia o ser e afasta e penúria de si.

Alto ou baixo o sol se atira sobre o vasto

 
ROSTO DA NOITE PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Mostra teu rosto, noite derrotada

de ambiguidade percorrida e de sendas sinuosas farta

cheia de rotas ermas e mortas a noite rosna

 
ATRO EPISÓDIO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Corte rotundo

da árvore de veia desprende-se

folha cortante de navalha

 
MULTIDÕES SEM PERDÃO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Multidões consumidas

nas fábricas nos gabinetes

nas porteiras nas borboletas

 
SOMBRA VCA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Graças a sua ofegante pureza

a obra BUROCRACIAL é severa.

Ao longo da rua da vida

 
SEXO ABSOLUTO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

O sexo é absoluto e tem variáveis quase infinitas... e é vital, pois vimos todos dele.

 
LÂMPADA CEGA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Lâmpadas de cetim e alfombra

cegavam os vieses e amapolas riam.

As reentrâncias do rosto se acumularam

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>

Pág. 2 de 30

INFORMA DIGITAL

Revista Urubu

Singular

Papel Jornal

Jornal O Monitor

Textos Agrestes