Murilo Gun

Quem está online

Temos 18 visitantes em linha

Enquete

O que você achou do nosso site ?
 

Assista

Parceiros

Admmauro Gomes

Siga-nos



PoesiAbsoluta
AVALIAÇÃO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Precipícios melancólicos

abismos submersos no lírio do verbo

autoconscienteodor danoso canino

 
POIS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Pois tudo está escrito (desde Malba Tahan)

ato a ato contabilizado

pecado a pecado, maléfico e maléfico maiêutico

 
EXEMPLAR A VIR A NÃO SER PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Volto de ti e de mim

volto do éter e da dor

volto de teu seio ereto

 
FILOSOPANDO (DA FILOSOFIA PANDA DE VCA) PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Poemas que pulam como sapos da lagoa – do súbito à página, atraídos pela isca filosófica.

Do sótão do ID, vem o tempo

(do relógio e do instinto

pois a forma do tempo não mora)

 
ARTE DE OLIVAR PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Virgem morreu o azeite

óleos jazem

sob sete palmos de carne.

 
MEDIDA DA DESMESURA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Vivo uma alegria viva

meu coração transborda de muros

o amor morreu mas volta a dor

 
DAS VEIAS DE SIÃO E BABILÔNIA UIVA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Que corre no grande rio estranho

se não caudalosas lágrimas (ou crocodilo louco)

hoste de sal que assalte salmos, urros de sáurio ou prurido

 
A LEITOR HIPÓCRITA (OS MEUS – VCA) PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Caminho na praia noturna de Boa Viagem

(há 50 anos, a 170 metros, inexatos

da Biblioteca Borges – vizinha ao

 
ESTUDOS DE TIGRE (CAÇA) PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Insígne, rápido, de malícia e cálculo

bala e gato, tigre lança seu hálito

feroz destreza arma, engatilha

 
COMO? PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Como e por que comecei com essa poesia intragável, impública, pouco pudica, não republicana (para o BRA),

 
DOBRA DO TEMPO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

À luz hermética do verbo vivo.

A loucura do poeta está na palavra.

Nas palavras que criam o tempo.

 
APÓS aos pós PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Depois de inúteis milênios

de rastros, soledades, estações

depois de ministérios e migrações

 
UMA VISÃO NOTURNA DA POESIA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

A busca do sentido perdido é por onde envereda o leitor incitado pelo poeta “indiana”... e, se chega a alguma explicação, esta não é nada poética, é toda prosaica.

 
ANOTAÇÕES SOBRE O CAOS FINAL PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

O Vale de Josafá amanhecia murmurante.

Era a manhã do dia final.

 
ÚLTIMO FÔLEGO AZUL (E VITAL) PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

(da série aporias coloridas)

Do feitil de orvalho e coração

é como se apresenta o campo

 
ME CHAMO NINGUÉM PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Ninguém é meu nome

sou da longa linhagem do nada

incompleto pária, touro castrado

 
POESIA: QUALIDADES ESSENCIAIS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Contribuição à questão (sua dirimição, em última instância) essencial que avassala o debate poético – mas não submete críticos insubmissos), no que concerne a:

 
PESO DESAPARECIDO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

E o peso desapareceu das coisas quando

irrompe com fervor e sem náuseas exatas

só com alto viço na lauda o poema absoluto

 
POEMA AS CORES DO GRITO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Oblíquo limbo onde vigilam luas de adeptos

do tigre e fuzis da palavra meditam.

Com urros brancos, dentes púrpuros

 
VITAL QUESTÃO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Qual a cor do limbo?

O limbo é branco ou vermelho fogo

encarnado puro ou branco pálido?

 
MONÓSTICOS POEMODERNOS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Memória, só do coração.

Presente é o que passa.

A prata do tempo é fraca.

 
<< Início < Anterior 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 Seguinte > Final >>

Pág. 11 de 53

INFORMA DIGITAL

Revista Urubu

Singular

Papel Jornal

Jornal O Monitor

Textos Agrestes