Murilo Gun

Quem está online

Temos 20 visitantes em linha

Enquete

O que você achou do nosso site ?
 

Assista

Parceiros

Admmauro Gomes

Siga-nos



PoesiAbsoluta
POLITICÁLIA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

A miséria não é destino nem solução.

Criatura servil não é (ser criado por Deus).

Penúria não é humana nem animal.

 
ESSA VIDA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

A vida, essa onda de espuma quântica

tocata e fuga, sinfonia escura e úmida

catre de albumina (esquizofrênica)

 
VINGANÇA ÍNTIMA E NUA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

O texto é livre, a vida presa do instante que é

o nada verdadeiro. Como a circulação do

sentido bloqueada é o percurso da palavra

 
SITUAÇÕES POÉTICA (DIZ ABAFO) PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

O ato de comprar é universal, metafísico, direto.

O ato de produção é ontológico.

Vende-se antimorte garantido

 
PÓ LAVRES PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Rosas brotam das ruínas da aurora.

É manhã nos escombros de setembro.

Começam as demolições da saudade

 
HIPOCRENE PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Fantasia não engana, salva

Coice agudo do pétreo casco de Pégaso

desencadeado qual raio de Zeus

 
POEMA A ESMO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

(por que quiabos

e não alfaces?)

Quanto pó o campanário

 
INSIGHTS POÉTICOS DO DIA 13.10.2015 (DO RETIRO DAS ÁGUIAS) PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

As pílulas da noites são avaras

em seu severo olhar a luz esmaga

fetos de aurora e larga

 
O POR VIR VINDO DO POEMA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

O tempo, que é impiedoso, mesmo cruel, além de irrepetível, irretratável; o tempo literário, como qualquer outro, passa... e no Brasil não se percebe.

 
COMO A POESIA NASCEU PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Na poesia, estabelece-se uma relação (ou compenetração íntima, cálida, complexa) quase sexual, porém inusitada, com os objetos (do mundo e da vida).

 
IMAGO MUNDI E A IMPOSSIBILIDADE DA POESIA ABSOLUTA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

O burguês clássico (e o Brasil de hoje tem milhões dessa “espécime”) não gosta de nada conotativo.

 
ESTREMADURA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Vede o Tejo! Cascais!

A Torre de Belém que nos seduz!

Lezírias, laranjas,

 
ORIGEM (continuação do poema anterior) PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Venho de utopias mecânicas e amestradas sinas

com o cordame da liberdade amarradas

venho de ideias libertárias presa

 
INDEFINIDA MEDITAÇÃO À TARDE PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Tarde pós cinza do dia

vespertina sobrevive do anoitecer

após meio-dia de lata aborrecida

 
POEMA QUASE LIBERTINO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

A ascese é uma mulher.

Fêmea indesfeita. Sei-o

Seios firmes, aptos, invencíveis, socráticos

 
PARALÉNS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

O cerne de poesia é a forma que o conteúdo dê ao poema... e essa matéria é transcendente, isto é, transcende o nível prosaico,

 
TEATRO ALQUÍMICO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

A cena do atanor filosófico, em conjunção explícita com a metafísica do fogo e do uivo, ante toda a glória da água plena, se desenrola no teatro da página química da alma.

 
O ENCONTRO COMIGO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Quando digo que realizei votos de solidão não estou sendo retórico ou a fazer blague meramente. Tive um insight – daqueles que Murilo Gun explica, não Freud.

 
FILOSOFOPOEMA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

O conhecimento do que virá

será o teu martírio, leitora curial curiosa

a hora não mais chegará a ti

 
O QUE É POESIA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Quando li Elementos da linguagem, de Martinet, em 1985 (conforme datação manuscrita, não a carbono, mas a grafite),

 
IRREVELAÇÕES VITAIS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Não tenho revelações (senis, juvenis, afetivas)

nem guardo candeeiros de lembranças

se cultivo o pó ou observo a cinza

 
<< Início < Anterior 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 Seguinte > Final >>

Pág. 12 de 47

INFORMA DIGITAL

Revista Urubu

Singular

Papel Jornal

Jornal O Monitor

Textos Agrestes