Murilo Gun

Quem está online

Temos 44 visitantes em linha

Enquete

O que você achou do nosso site ?
 

Assista

Parceiros

Admmauro Gomes

Siga-nos



PoesiAbsoluta
A SORRELFA OU SOMBRA DE DÚVIDAS DE VCA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Sonhei um rio esquecido

de margens réprobas

atravessado de talvezes

 
03/10/2017 PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Escrevi ontem um poema alcoviteiro.

Estava em desuso e a barba parecia duas navalhas cegas.

Estava me discriminando muito e me acotovelei

 
19 HAICAIS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

(21 de maio de 2015)

Do outono do crisântemo

Ao inverno farto das rosas

 
A TODAS AS NÁUSEAS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

a Sartre

Ao limbo do silencio branco.

Silêncio  não é impotência.

 

 
A FÓRMULA DO CAOS, QUAL É? PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Súbita lágrima do cerne do ferro irrompeu

como gotas de gusa das pálpebras

assim como o som da construção

 
NIHIL PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Então, não repito:

esse romance (?) fala de nada e

da vida totalmente sempre, amém.

 
EU AFORIZO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Além das circunstâncias e adjacências

além dos subúrbios rebelados

e das sombras comatosas

 
DIDÁTICA PROFANA (ladainhas de bordel) PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Crio demanda

e me oferto

genuflexa

 
POESIA É CATEQUESE E INVENÇÃO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Sapo pula, silêncio de água ondula, charco

mija, veloz acalma a pausa, o mundo

roda ao contrário do idiota senso, a

 
EXCELENTE POESIA ECOLOGIA HUMANA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

PAULO DÁCIO DE MELO, amigo e poeta, cujo estilo de vida (modo de vestir, de ser, de ver e sentir a vida, a vida em suas dimensões sutis e amplas,

 
SABOR IRREAL PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

O ermo era literal como deserto.

Estéreis os alvéolos da água lateral.

Ramos de acácia morriam.

 
BÁRBAROS VIRTUAIS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Hoje os bárbaros destroçam a sala de jantar

mas cremam poesias, não poetas... ufa!

A poetas não incineram, castram, emasculam

 
PRECES SEM MARFIM PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

O âmbito dessa vida tão surdo

torna-nos nulos. Abrigados da intempérie

perecemos, a alma exausta retira-se

 
A AÇÃO CRIADORA DO ACASO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Creio na artística quântica inexplorada. Na arte quântica da palavra e em sua indestrutibilidade mecânica.

 
FRAGMENTOS (TERÇO FINAL) DE TEXTO DE CLÁUDIO VÉRAS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Encanto, doçura estranha, atração mental, tudo causa a poesia absoluta (na pessoa normal) estupor e sideração.

 
ENGATILHO PALAVRA E ZEN DISPARO PERFEITO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Branco alvo da página miro

verbo preparo bem detido

poética pontaria apuro

 
A CRÔNICA QUE NÃO EXISTE PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Quando comecei esta crônica, eu tinha duas ideias a explorar.

 
TEMER PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Temíamos

que voz da claridade

despertasse nosso êxtase

 
NUNCA VÁ PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Não vá contra o fluxo, nem se banhe

duas vezes num mesmo rio. Ou em outros.

Vá contra a corrente comum, vá contra

 
MOVO COMOVIDO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Abelha mecânica instala

enxame numa catraca

e fabrica mel de aço

 
SÚBITA CERTIDÃO DE ÓBITO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Verdade obitual (irrefutável).

À poesia autônoma: sem máscaras fiéis...

A gramática contra o tempo.

 
<< Início < Anterior 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 Seguinte > Final >>

Pág. 15 de 44

INFORMA DIGITAL

Revista Urubu

Singular

Papel Jornal

Jornal O Monitor

Textos Agrestes