Murilo Gun

Quem está online

Temos 12 visitantes em linha

Enquete

O que você achou do nosso site ?
 

Assista

Parceiros

Admmauro Gomes

Siga-nos



PoesiAbsoluta
ESTRELAS DESCALÇAS DA CALÇADA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Gumes agrários.

Vasilhas de sal dissolvidas.

Limites são impotentes.

 
BRETON TIMBRE PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Proclama a rebelião da palavra.

Auroras de cimento armam-se.

Sons acesos.

 
LÍMPIDO FEROCE PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

O que há no olhar dos cães? Não vejo.

Niilismo era seu nome oculto.

Falso tudo brilhando.

 
DIAS A NOITES PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Dias de granito e orvalho

e de licores nefastos.

Dias sem grandil ou celeuma

 
À EFUSÃO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Frieza a rigor, exige poesia. Secura e implosão.

Concisão e efusão descomedidas.

A metamorfose do poema ocorre

 
DEFINIÇÃO DE POESIA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Poesia: máquina de moer ângulos

esmagar catetos das hipotenusas azuis

e reviver pó a partir das cinzas do espírito

 
SABOR (DE MIM) PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Saber que a poesia conversa com árvores

e na campina do silêncio vespertino

leito de estrela d’alva acasala

 
INTERMEZZO DANZKA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Olho o copo de vodka e sigo o caminho do lábio

ávido linhas afora inumerável e uno, vital

e sempre desrumo em frente.

 
PERSEGUIÇÃO DO SER PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

O ser, raramente dado sempre conquistado

aterra CIORAN, merece a honra de uma

maiúscula... não por sua máscula

 
VARIEDADE DE VERDADE PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

(DA HORTA FILOSÓFICO – POÉTICA)

Manhãs de porcelana meio-dia despedaçou

em trastes de tarde

 
SÍLABA DE ESTRELA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Atravessei celibatos de abelha

o cálcio do coração demoli

no périplo sem limite de palavras

 
A TODAS AS NÁUSEAS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

a Sartre

Ao limbo do silêncio branco.

Silêncio  não é impotência.

 
POEMA ÀS VEZES PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Às minhas concupiscências todas, dedico-me.

É apropriado que faleçamos quando

despenca uma vertigem e a alma embote.

 
OSTINATO RIGORE VITAL PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

(LIBERAÇÃO TOTAL DA FORÇA EXPRESSÃO)

Preciso atentar que o substrato imagético

é naufrago, oculta-se nas sombras do verbo

 
CÉU ABERTO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

 

A cada saliência do silêncio

a cada caliça que do grito escorria

a cada lento alicerce pulsando

 
E TUDO FOI NAUFRÁGIO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Estendida das redes célicas estavas

lançando-me a teus olhos

como sinfonias de gladíolos aproximando-se.

 
ANTE PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Ante a 13º folha branca chego

ao amparo de um cubano charuto (cinza)

e 12 doses da metálica vodka danzka (líquido).

 
DE VENENOS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

A alba é venenosa. Ofídica, nada pressurosa.

E como rosa se vai

como rosto corrompe-se

 
O SÃO JOÃO DA CRUZ ARDENTE PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Amor cala. Não amordaça.

Luz invisível e silenciosa contenta.

Da ardente iluminação do silêncio

 
POÉTICO MYSTICHE PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

A poesia independe de linguagem pública.

Vez que não é oficial. E ela vela o íntimo.

Do ser e do sendo.

 
TEMPO: ILUSÃO MEDIDA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Noite esparramada contra o céu

“como um paciente anestesiado sobre a mesa”.

T.S. Eliot

 

 
<< Início < Anterior 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 Seguinte > Final >>

Pág. 21 de 44

INFORMA DIGITAL

Revista Urubu

Singular

Papel Jornal

Jornal O Monitor

Textos Agrestes