Murilo Gun

Quem está online

Temos 10 visitantes em linha

Enquete

O que você achou do nosso site ?
 

Assista

Parceiros

Admmauro Gomes

Siga-nos

Textos Agrestes



PoesiAbsoluta
FLUO A MIM PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

(capítulo do romance Asa vera)

Este poema é uma introdução a ti.

(Ou, como diria Admmauro Gommes, uma intradução).

 
MEU MÉTODO POÉTICO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Pela primeira vez numa vida, eu (ou um poeta poeta) vai (vou) confessar, Expor, abrir à horda ignara, a intelectualoides e leitores vãos,

 
PENDÊNCIAS DO SER PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Intranscendental

intranscendentando

trasmuto-me

 
POLÍTICA ÉTICA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

A finalidade da ética – segundo os filósofos gregos, era prescrever ou estabelecer a felicidade individual (do ser ou em si).

 
BASES FILÓSOFICAS DA POESIA ABSOLUTA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

A consciência não é de dentro

nem de fora (ideal, material, issual)

é do ser total

 
MAIO SE LAMENTA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Abril se foi, ceifou-me azul cruel

(do mais cruel ainda abril do verbo)

manada de rigoroso azul se dispersou

 
AMOR, AMOR PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Aos mares, a víboras, ao sal escuro das galáxias

a eras que virão, a venenosos porvires

e ao abismo das auroras pecaminosas

 
SEDUÇÃO DO BASILEU PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Erguerei muro duradouro do futuro defronte do apocalíptico aviso: esperem mil tsunamis (ou desistam).

 
CAMINHO DO POEMA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Então a ver – na Usina VCA do Facebook - 7 sacos de poemas acabados (destrutos de palavras)... e em cima repousando, amadurando, em suspensão,

 
GREDA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

O segredo degrada

o degredo sangra

de greda é feita a anágua

 
FANTASIA DO ENTARDECER PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Que toda a náusea

e todo o repouso

dos olhos morram

 
POEMAS SEIOS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Poemas não jamais serão

maviosas formas presas

(seios no cárcere das altas blusas)

 
GRANDES CONSTRUÇÕES PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Labirintos de queijo para ratos

(inteligentes e famintos).

Arapucas com saídas.

 
O AMOR PERDIDO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Dos eminentes salões do mar

naus micenas dançam

tangos contra Tróia.

 
POETA NÃO É QUEM MANDE RECADO DÊ LIÇÃO DE CÍVICA SEJA CIDADÃO MEDIDO PASSE A VIDA RIMANDO DELEITE ENSINE EDUQUE PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Poeta que manda recado

fornece significado

é fornecedor, tem armazém, de sentido

 
VEIO DO NOME PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Dos jardins severos das rosas estoicas

da greda (,) do degredo e do acerbo lume das cimitarras

da matéria das brisas, da solidão do poente, do vero da vida

 
A ADMMAURO GOMMES PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Alameda de ventos decapados

pela chuva das vidraças de abril.

Moinhos imóveis como o sentido das palavras

 
VIDA NÃO É SONHO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Habitar a alma é o que menos fazemos aptos do corpo

peritos externos, gurus da contabilidade da matéria que não

se enfronham no sopro e dedicam-se a inventários dos dias

 
ORGASMOS VERBAIS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Procure no poema sentidos cutâneos

(que encontrarás, sob as unhas do verbo).

Ou orvalho de aço surdo encontrarás.

 
ILUMINAÇÃO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Rubis incendeiam regaços

do dorso lampeja esmeralda

sais celestes luzes dos vitrais gotejam

 
LUAL ALPINO OU NAUFRÁGIO DA AURORA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Luas de lobo dos crescentes sábados

uivam das veias e covas de Caracas

grassam por tímpanos e sandálias

 
<< Início < Anterior 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 Seguinte > Final >>

Pág. 21 de 62

INFORMA DIGITAL

Revista Urubu

Singular

Papel Jornal

Jornal O Monitor

Instagran Usina VCA