Murilo Gun

Quem está online

Temos 32 visitantes em linha

Enquete

O que você achou do nosso site ?
 

Assista

Parceiros

Admmauro Gomes

Siga-nos

Textos Agrestes



PoesiAbsoluta
CENAS DE ABSINTO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

a Rimbaud e Baudelaire

Ante cálice do pleno e ébrio licor

absurdo me senti (e ab-sinto muito por isso).

 
POETA DE ALMA SECA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Todas as especulações da alma encontram abrigo na poesia, no sentido que desta forneceu Pound: a palavra em sua maior carga conotativa (não abstrata),

 
ALERGOLOGIA BÍBLICA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Alérgico Abraão ao pó prometido de Canaã

desistiu do sonho errante

e foi ser copeiro em Ur.

 
INVASÃO: CARAVELAS NO HORIZONTE PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

À flor d’água arrecife se posta atento

vígil impede que no porto invasor ancore.

O rio se faz óbice. Os escolhos vigiam.

 
ENTERRO DO TÍTERE RICO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Assembleia oblonga de lágrimas

abria-se no aquário

À falta de lenços decentes do velório.

 
A VÍVIDA MORTE DE NOVALIS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

do livro em elaboração final: Morte dos poetas.

 
GERAÇÃO POESIABSOLUTA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Já se detecta, adverte ou ensina o professor, poeta (absoluto) e crítico literário, Admmauro Gommes,

 
POEMA WALDEMAR LOPES PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Vital Corrêa de Araújo

Há uma licor de palavras

cheio de lumes e seivas

 
DE VENENOS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

A alba é venenosa. Ofídica, nada pressurosa.

E como rosa se vai

como rosto corrompe-se

 
PENSAMENTOS INDOUTOS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Encontrei uma geometria azul numa tarde de maio comum. O termômetro da Santo Antônio em dígitos astigmáticos indicava 21 graus célsius.

 
MISTÉRIO DA POESIA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

O mistério da poesia somente se engasta na página (papel ou alma) com o selo (ou saliva) da metáfora,

 
TESTEMUNHOS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Mil canículas devoraram o sal

cêntimos de árabe suor escaparam da alma

tetrarcas brancos olharam o soslaio

 
ARCO DE ESTAÇÕES DO CORPO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Esse inverno cheio de tédio vão

(águas selvagens frios comoventes)

esse verão brilho de cão

 
POESIA. POESIA? PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

A poesia, o modo de fazê-la varia a cada época.

 
MEU CORAÇÃO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

(versos disponíveis para cartões postais do Facebook)

O tema do coração claustro de protestos atraiu muitas visualizações, então, bom, vale. Daí, continuo.

 
NOVOS APOTEGMAS SOBRE IRA (SORRIA) PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

A ira é o dom dos raivosos.

Embora ira cure, sua posologia mata.

Embora não seja frígida, não é prescritível.

 
EMPREITADA TEXTUAL PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

JORRO DO DIA (DIGO, DO ID)

OU TEXTICULOS DO IMPOTENTE ACASO (DIGO, OCASO)

 
IR AO VOO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Até ao longe azul voo.

À umbilical altura vou. Sem que

nenhuma claridade me capture o espírito curvo.

 
DITAME NOTURNO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

A noite-mãe é quem dita o poema.

Maternalmente, acolhe a palavra

o útero verbal é ameno.

 
A POÉTICA DE FRAGMENTOS DE VITAL C. ARAÚJO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Cláudio Veras

O poeta mergulha na bateia de imagens da verdade incompreendida, do sentido perdido das palavras banalizadas,

 
SOBRE MISTÉRIO E COMPREENSÃO DE POESIA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

As palavras poéticas montadas em sintagmas velozes como cavalos filológicos e selvagens (ou soltas na hara da página),

 
<< Início < Anterior 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 Seguinte > Final >>

Pág. 28 de 67

INFORMA DIGITAL

Revista Urubu

Singular

Papel Jornal

Jornal O Monitor

Instagran Usina VCA