Murilo Gun

Quem está online

Temos 44 visitantes em linha

Enquete

O que você achou do nosso site ?
 

Assista

Parceiros

Admmauro Gomes

Siga-nos



PoesiAbsoluta
BORGES JAGUAR PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Veia jugular do jaguar

Borges orienta o fluxo

imperturbável do sangue mineral

 
SOBRE O SAL DA SEDE PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Poema prepara alma para

completa intransição.

Espírito já não transa com a carne.

 
TRANSFORMADA EM FESTA SEM PERDÃO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Na profana ágora, adro castanho

praça em que poreja  multidão

a um crucifixo de metal fidelizada

 
ESSES CÍRCULOS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Cabedal de luzes, abdul de cinzas

esses lentos círculos prologando abismos

concuspiscentes e carnívoras carolas puras

 
GRANDEZA (E LERDEZA) DE DEUS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

À potência do céu estrelado.

À noite do pensamento.

Ao mistério das estrelas anãs.

 
TEMPO: SINE DIE CURSO EM DIREÇÃO DA MORTE PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Crepúsculo, cadáver da luz.

Tempo lasso, relógio mole.

Hora vazia deserta derretida

 
SD - PRESCRIÇÕES INCRÍVEIS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Para unidade deste poema

ele vai durante a febre

Jorge de Lima

 
ROSAS NUAS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Aprendi a passar fome pela poesia.

Sede, jamais. Viva a Vodka

finlandesa, ébria como a poesia.

 
FLUXO NOTURNO DE INCONSCIÊNCIA SEM ALMA 3 PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Poemas através da noite

(Sinfonia verbal para partituras de sal)

Eis anoitecer difícil

 
VITAL MANIPULAÇÃO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Céu de acariciante porcelana

de onde anjo despejou jorro

sobre olhos da alma do tempo

 
APAZIGUE-SE PELO POEMA ABSOLUTO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Cítara, harpa, flauta

de osso, de corça, passo de cisne

e vértebra de alface do Olimpo.

 
ABSOLUTO OFÍCIO DA PALAVRA POÉTICA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Todo vazio é hiante.

Todo uivo viável.

Todo abismo vê.

 
ERMO RUMO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Colunas de basiliscos

(filas de centopeias, razias de lacraus

luz de aço arregimentada em covas de veneno)

 
O ANTIPROFETA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Em todo homem dorme um profeta, e quando ele acorda há um pouco mais de mal no mundo...

 
MAR VERDADEIRO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Ao mar que é morrer

Busco aconchego (e humana graça)

nas águas naturais

 
ZELO MELANCÓLICO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Túmido baixio, lacuna de terra

laguna intensa, lago de rama

pântano e ânimo, brejo

 
SÓ EXISTE A HISTÓRIA... DA ALMA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Pois alma não pode faltar ao humano.

Perse revela-se e se esconde através

das declamações poéticas e situações

 
A YOLANDA QUE AMA O AMOR PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Yolanda Cavalcanti, como a chamou Vital Corrêa de Araújo, é a Paladina do amor.

Sem amor a vida é erma.

Coração deserto se desvanece,

 
BREVIÁRIO DE PROVÉRBIO ADVERBIAIS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

a Cioran, o gênio romeno gaulês

Sonho com concílios de tílias

em calientes assembleias de chávenas

 
QUANDO GARCILASO AINDA DEGOLAVA NINFAS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

A deusa silvestre vem apressadamente

pela espessura do lírio pulando ângulos e hóstias, além de ossos surdos

e se precipita no súbito detendo-se

 
LÁSTIMA E ECO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Eco de hexâmetros ouço.

Rima de osso é asco

Imóvel cristal que líquida chama

 
<< Início < Anterior 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 Seguinte > Final >>

Pág. 32 de 51

INFORMA DIGITAL

Revista Urubu

Singular

Papel Jornal

Jornal O Monitor

Textos Agrestes