Murilo Gun

Quem está online

Temos 59 visitantes em linha

Assista

Admmauro Gomes

Siga-nos



QUASE SONETO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   
Quinta, 07 Fevereiro 2019 17:51

Um cão abunda no mundo só

entre aparas e arestas de lixo

enquanto jorra alto odor de calmo licor

e aroma desolado de amor persiste

de rosto devastado perplexa sombra

se agita sob pálpebras do tempo.

 

Sobra um sabor de março

num céu anônimo de abril.

 

Oxalá, as coisas se comprimam

ou do âmbito do silêncio avancem

quiça a cinza volte e ser-me

cremada pelo tempo afora.

 

Olho o silêncio, sinto

a pulsação do instante stop.

 

Comentar


Código de segurança
Actualizar