Murilo Gun

Quem está online

Temos 17 visitantes em linha

Enquete

O que você achou do nosso site ?
 

Assista

Parceiros

Admmauro Gomes

Siga-nos



GRODEK PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Pelo eco da tarde e baixinho

soam nos juncos flautas do outono

sombras de bosques vermelhos ressoam

mortíferas armas das cores do sangue

sobre lagos azuis se derramam

 

 

noite moribundos guerreiros abraça

com seu canhestro redil de trapaças

lamento feroz de suas bocas quebradas

como hino desesperado escapa

da garganta já sangrenta

para que linfa melancólica acolha

de suas veias de fino chumbo

 

 

sob dolorosa pradaria

nuvens vermelhas Deus irado espalha

como sangue derramando-se

da frialdade lunar (vaso sem ventre)

 

tremenda dor e escombro de prata alimentam

a ardente  chama do espírito

 

e apagam a luz dos olhos dos netos

ainda não nascidos”.

 

Comentar


Código de segurança
Actualizar

INFORMA DIGITAL

Revista Urubu

Singular

Papel Jornal

Jornal O Monitor

Textos Agrestes