Murilo Gun

Quem está online

Temos 20 visitantes em linha

Assista

Admmauro Gomes

Siga-nos



ALGAROBA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   
Terça, 06 Agosto 2013 20:19

ALGAROBA, como o pardal, são pestes. Vieram de fora, são ets do reino vegetal e animal. Transplantada do Chile e do Peru, em 1940, a algaroba veio em função do potencial de produzir madeira, lenha e forragem (para o gado). Delmiro Gouveia foi o introdutor. O primeiro pé foi transplantado para Serra Talhada e começou a distribuição de mudas como uma política pública útil e salvacionista. Por ser uma planta meio xerófita, sobrevive com pouca água e tomou o semiárido. Hoje ocupa mais de um milhão de hectares no Nordeste.

 

É uma planta invasora – como o é o pardal ave estranha que saqueiam ninhos dos pássaros nativos e devora os ovos. A algaroba não tem adversário, toma o lugar (a terra, o solo) das plantas nativas e não tem inimigos naturais como as plantas legítimas da Caatinga. Nos locais onde prospera praticamente expulsou as plantas nativas. A algaroba como o carrapicho não se naturalizaram. Continuam tomando o emprego (o lugar, a terra, a área) das plantas oriundas. Portanto, algaroba e pardal são invasores, predadores, excepcionalmente antiecológicos.