Murilo Gun

Quem está online

Temos 15 visitantes em linha

Enquete

O que você achou do nosso site ?
 

Assista

Parceiros

Admmauro Gomes

Siga-nos



DEFINIÇÃO DE POESIA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Poesia: máquina de moer ângulos

esmagar catetos das hipotenusas azuis

e reviver pó a partir das cinzas do espírito

forjar bobinas de abelhas cúbicas

para turbinas esquizofrênicas.

Poesia: máquina de morder êmbolos

e pôr gritos diurnos nas bocas da noites como brisa.

Poesia: máquina para revigorar sono de pedra

e indefinir o esmo com o verbo deserto

e a palavra nômade.

 

Preciso de lama fria

para emporcalhar o inferno.

 

Desordem? Uma palavra que significa divo caos.

 

No interior da alma ressoam

silenciosos precipícios da existência

no interior dos brancos ermos do mundo.

 

Comentar


Código de segurança
Actualizar

INFORMA DIGITAL

Revista Urubu

Singular

Papel Jornal

Jornal O Monitor

Textos Agrestes