Murilo Gun

Quem está online

Temos 9 visitantes em linha

Enquete

O que você achou do nosso site ?
 

Assista

Parceiros

Admmauro Gomes

Siga-nos

Textos Agrestes



POEMA AMANHÃ PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Em torno do átimo redondo nos reunimos

o sítio das conversas em cestas e redes reunido

do convés das gavetas gravatas ancoradas

e a voz a retinir do silêncio ósseo

e os sons do súbito caíram como sedas

no centro da peleja atiçada

pela alma marítima do crescente lunar

em cheio sitiando o surdo diálogo.

Insone, insano, sem sono ou som

porque eram portadores do tempo homens passados.

Para o que se quer ouvir o poema não serve.

Tudo para num átimo metafísico

publicar o íntimo.

 

Comentar


Código de segurança
Actualizar

INFORMA DIGITAL

Revista Urubu

Singular

Papel Jornal

Jornal O Monitor

Instagran Usina VCA