Murilo Gun

Quem está online

Temos 27 visitantes em linha

Enquete

O que você achou do nosso site ?
 

Assista

Parceiros

Admmauro Gomes

Siga-nos

Textos Agrestes



ESTREMADURA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Vede o Tejo! Cascais!

A Torre de Belém que nos seduz!

Lezírias, laranjas,

Sintra! Arrábida! Queluz!

 

Moimentos de Alcobaça

E Óbidos e Odivelas

Padrões de eterna raça

Que andou nas caravelas.

 

Velas lusíadas em Varatojo

Sulcando os campos em vôo plano:

Terra de pão, gentes de arroio

De D. Afonso e Africano.

 

São mantas de retalhos, coloridas,

Os campos que além vê o nosso olhar.

Sente-se a terra a germinar em vidas

E um cheiro e húmus entumecer o ar.

 

No azul, paradas, pairam as cegonhas

Espreitadas os ninhos no cunhal das casas:

E as geriquitas, como que risonhas,

No andar tão leve quase ganham asas.

 

Extraídos de “O ALMANAQUE DO PORTO” edição de 1949

 

Comentar


Código de segurança
Actualizar

INFORMA DIGITAL

Revista Urubu

Singular

Papel Jornal

Jornal O Monitor

Instagran Usina VCA