Murilo Gun

Quem está online

Temos 7 visitantes em linha

Enquete

O que você achou do nosso site ?
 

Assista

Parceiros

Admmauro Gomes

Siga-nos

Textos Agrestes



POR QUÊ ESCREVO POEMAS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Faço poemas porque acredito em Deus

sei que Ele é inacessível

como o rosto da minha poesia

e não tem face nenhuma

(quanto mais as sete de CDA)

que te ofereça (em bandeja ou terrina)

à esquerda ou à direita nos dois sentidos da vida.

 

Deus é complexo, difícil, infinito (demais).

Com Ele jamais te depararás

em nenhuma esquina inóspita do tempo

(ante ou pós túmulo, antes e depois do alento).

Em nenhum prado, pomar, jardim ou crepúsculo.

Só na orquídea ou papoula que borboleteia

em teus olhos ou no de algum beija-flor distraído.

Éden, céu, campoelíseo, sheol, hades

tudo te será negado absolutamente

desde que o original Adão

foi defenestrado do paraíso

(por induzir Eva a comor a maçã

que cairia no colo de Newton algum tempo depois).

 

Esse recinto (dourado e pleno de manás gratuitos

E manjares divos, pudins brancos, cândidos sumos)

vivo ou morto não haverás adentrá-lo

te será negado por serdes

demasiadamente humanos, e tristes. Está escrito.

 

(Que não fique nenhuma

palavra no limbo, que sobreviva poeta

que desembarque da estação do inferno).

 

Comentar


Código de segurança
Actualizar

INFORMA DIGITAL

Revista Urubu

Singular

Papel Jornal

Jornal O Monitor

Instagran Usina VCA