Murilo Gun

Quem está online

Temos 8 visitantes em linha

Enquete

O que você achou do nosso site ?
 

Assista

Parceiros

Admmauro Gomes

Siga-nos

Textos Agrestes



Futuro imperfeito (ou porvir do MEDO) PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Evolarão sem tréguas perfumes podres

pelas aléias da alma, jardins cegos.

Aroma negro pelas canículas do rosto.

Impregnará o meio-dia do demônio caterva

de cores caninas e destras, o clamor

carnívoro das narinas há de no ar reverberar.

A crispação do futuro será feroz

formosura se fará escória

cinzas os sorrisos, os gestos dor.

(Asas estendam-se sobre troncos humanos

cubram falos, usinas, viaturas, lenços, intervalos

clamem aos céus de pedra, a ícaros corrompam).

 

Moeda retinará sobre moeda

lume sobre a seiva da sombra dormirá

sobre eito de escombros ecoará o homem

efígie devorará efígie

cara corromperá coroa

César vencerá Cristo

(anacrônico poema vingará

das estepes e dos pastos da palavra)

da bursátil engrenagem

o cadáver do ágio irromperá

como distúrbio ou mórbida hecatombe

como punhal sobre goela de prata

como fluxo sobre amplexo

gema sobre crise, crase sobre hífen

cântaro de hino sobre sereias

brilho de ruína sobre estrelas

olhar de ônix da pantera sobre

selvaggia selva e vespertina, luz sobre esperança escura.

(Só a máscara revelará o rosto).

 

Comentar


Código de segurança
Actualizar

INFORMA DIGITAL

Revista Urubu

Singular

Papel Jornal

Jornal O Monitor

Instagran Usina VCA