Murilo Gun

Quem está online

Temos 10 visitantes em linha

Enquete

O que você achou do nosso site ?
 

Assista

Parceiros

Admmauro Gomes

Siga-nos

Textos Agrestes



CAPÍTULO DAS CULPAS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   

Erode raiz hábito do tempo

Pelo ferros do parlatório passam vozes

urros atravessam gargantas de monjas.

Cálices de cilício oferecem ao corpo

com tonéis de silêncio brindam o espírito.

 

Vigílias do íntimo

e ilusões da carne domam o poeta.

 

Só olhares (e metais lascivos) transpõem

muro de mosteiros (através das janelas da alma).

 

Silêncio não ultrapassa

portas fechadas.

 

Toda clausura é lenta (e longa)

ásperos hábitos de crina a consolam.

Recife/2006

 

Comentar


Código de segurança
Actualizar

INFORMA DIGITAL

Revista Urubu

Singular

Papel Jornal

Jornal O Monitor

Instagran Usina VCA