Murilo Gun

Quem está online

Temos 36 visitantes em linha

Assista

Admmauro Gomes

Siga-nos



POIESIS FAZER PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   
Quinta, 10 Outubro 2013 19:24

Poiesis(sentido etimológicoàpoieoo (grego)

significa fazer, fabricar.

A estrutura discursiva da linguagem referencial

(a dos contratos e negócios amorosos ou não)

- que deriva da infraestrutura econômica ou da sobrevida humana

predomina. E contamina (efeito marginal)

a linguagem poética (original). Corrompe. Deturpa.

Só a poesia salva. O ser humano essencial.

 

Cheia de nexos, vírgulas (de quês, de forma, assins, comos, entões e portantos), poluída de conectivos a ir redundando-se numa orgia descritivista, numa aventura de rotinas e lugares comuns, atrasada, quantitativa, imitativa, mesmo patativa (musicalizada nos galhos e folhas das rimas orgulhosas) a poesia hoje é pálida filha do ante(e anti)moderno poético, é fruto de tradição esclerosada. Quando (e desde Holderlin) devia ser rosada, expressionista; devia incorporar, concentrar, manipular, conlevar, confraternizar, aproximar a desordem, o caos, a entropia, a purgação, o futuro do ser humano.

A ilinearidade (ou inelinearidade), o fragmentário íntegro, a geometria ébria da palavra, a usina do verbo em plena explosão criadora são alicerces dessa nova velha poesia (pois no BR atrasou cem anos). Está-se na era do Verso de barro. TD.

 

Comentar


Código de segurança
Actualizar