Murilo Gun

Quem está online

Temos 74 visitantes em linha

Assista

Admmauro Gomes

Siga-nos



Artigos
A PALAVRA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   
Quinta, 06 Junho 2013 19:49

O ofício do poeta é o que de mais sagrado restou ao homem. Ele move a hóstia da palavra até que a saliva do verbo a envolva. E a traga a boca do mundo. O ato do poeta reflete-se a cada hora no corpo de sua alma. Ou no espelho indizível da palavra.

O ânimo poético é transformador. Aquém dele tudo torna-se prosaico, mera ou demasiadamente prosaico.

A palavra desafia o tempo rude que nos ronda. Ela já foi de barro em forma de lajota seca ao sol, o forno primitivo. Já foi talhada no papiro, árvore do Nilo. Já foi pergaminho e couro. Já foi velino, quase seda, quase etérea. Pele de feto de carneiro. Hoje é digital. Amanhã, prensas metafísicas a imprimirão no papel do espírito.

atualizado em Quinta, 06 Junho 2013 19:58
 
<< Início < Anterior 51 52 53 54 55 56 Seguinte > Final >>

Pág. 56 de 56