Murilo Gun

Quem está online

Temos 23 visitantes em linha

Assista

Admmauro Gomes

Siga-nos



Sobre Poesia Absoluta
POETA HERMÉTICO, E DAÍ? PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   
Quarta, 19 Junho 2013 17:25

Cláudio Veras

Há décadas persigo a trajetória de Vital Corrêa de Araújo, em especial, no rastro dos livros Só às Paredes Confesso e Palpo a Quimera e o Tremor, além de parte de Simulacro seguido de Escuras, cujos originais pertencem ao Professor Sébastien  Joachim. Também compulso Atanor e O Sal contempla o Atlântico, além deste e de Estou.

 
OS CINQÜENTA POEMAS PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   
Quarta, 19 Junho 2013 16:57

O poeta Vital Corrêa de Araújo publicou, pela editora Galo Branco (nome que homenageia Afonso Frederico Schimidt, título de um de seus livros), o livro "50 Poemas Escolhidos Pelo Autor", dentro de uma série editorial que contempla Mauro Salles, Elisa Lucinda, Antonio Olinto, Carlos Nejar, Lêdo lvo, entre outros.

Essa importante editora do Rio de Janeiro, sob direção de Waldir Ribeiro do Vai - que também edita a revista Poesia, homenageia com essa série a José Simeão Leal, criador dos Cadernos de Cultura, do MEC, na década de 50, que contemplava edições de livros com 50 poemas escolhidos, como o caso de Manuel Bandeira e Carlos Drummond.

 
O QUE PENSAS E SENTES, ISSO AINDA NÃO É POESIA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   
Quarta, 19 Junho 2013 16:55

Admmauro Gommes

 

ANTES que alguém pense que estou inventando moda, confesso que a frase que intitula este comentário, não é minha. É de Carlos Drummond de Andrade, retirada de um poema (Procura da Poesia), publicado em 1945. Depois que o escritor mineiro adverte sobre as armadilhas que envolvem a criação poética, indicando que não se deve fazer versos sobre acontecimentos, definitivamente, aponta o caminho: “Penetra surdamente no reino das palavras.” De outro modo, é o mesmo que disse Manoel de Barros: “a radiância de um verso (...) vem das radiâncias letrais.” Ou seja, do confronto da palavra pela palavra com a palavra. Assim, “o que pensas e sentes, isso ainda não é poesia.”

 
O DESTINO POÉTICO DE VITAL CORRÊA DE ARAÚJO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   
Quarta, 19 Junho 2013 16:52

Sébastien Joachim

Existem poetas cuja obra desenha uma curva parabólica, com um período de tentativas medíocres, o período de apogeu e um de desistência de suas possibilidades criativas: sobreviverão nas antologias pelos feitos da segunda etapa.

Outras pessoas que reivindicam o título de poetas, mas que em vão cortejaram a musa, desaparecerão do cenário mundano onde evoluem, uma vez extintas e/ou privadas dos apoio “políticos” que as sustentaram.

 
Ludismo transcendente PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   
Quarta, 19 Junho 2013 16:50

Hildeberto Barbosa Filho (*)

Vital Corrêa de Araújo, poeta pernambucano, pública, pelas Edições Galo Branco, seus 50 poemas escolhidos pelo autor. Posso ter, enfim, uma visão de conjunto e uma percepção mais seletiva acerca de sua poética individual que se expressa em títulos importantes, como A cimitarra e o lume (1981), Burocracial (1983) e Canção de Areia (1996), entre outros.

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>

Pág. 9 de 10