Murilo Gun

Quem está online

Temos 19 visitantes em linha

Assista

Admmauro Gomes

Siga-nos



LinkLoko 1
CONCEITOS PARA ALICERCE DA POESIA ABSOLUTA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   
Terça, 20 Agosto 2013 12:44

A poesia não é do reino das ideias deste mundo.

A poesia é o nascimento da palavra. Seu reino

é no homem (capaz do expandir a mente).

A poesia é o império do imaginário.

A prevalência da imaginação sobre a sensação

A existência (é) das palavras.

O ser é uma palavra. Deus, outra

As substâncias são palavras.

 
Coisas da arte e da política PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   
Terça, 20 Agosto 2013 12:43

Luciano Siqueira

Publicado no portal Vermelho www.vermelho.org.br

No pavilhão dos presos políticos, em Itamaracá, meados dos anos 70, éramos requisitados por companheiros poetas e contistas para ler seus originais. Sustentávamos intermináveis diálogos sobre conteúdo e forma - sem qualquer conhecimento da teoria literária. É que se sentiam confortados – diziam - com o depoimento de alguém que lhes transmitia uma percepção intuitiva, despida de filigranas próprias de especialistas.

 
CLAMOR DO CIO E PROCELA PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   
Terça, 20 Agosto 2013 12:42

(na fértil Ítaca diariamente

Penélope copula com príncipes).

 

Procela moral

sobre Ítaca se abateu

 

 
CEM ANOS DE EU PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   
Quarta, 14 Agosto 2013 19:24

Se se fizesse hoje, agora, uma pesquisa séria sobre poetas que ainda permeiem a imaginação popular, presentes que estejam, tanto no imaginário da turba não tão ignara, quanto na admiração civil, dentre outros como Louro Patriota, Gonzaga de Garanhuns, Catulo da  Paixão Cearense e os nossos faraós de São José do Egito, estaria firme Augusto dos Anjos, pobre vate trágico e incompreendido à época que morreu em 1914, com menos de 28 anos – tendo publicado em vida um único e indelével livro de poema: Eu, em 1912, cujo centenário de publicação ocorre agora e O Monitor e a Academia de Letras de Garanhuns comemorarão – instituindo 2012 como  o Ano Literário Augusto dos Anjos, pois nada tão transcendente, nada mais notório, fato tão primal não há como essa efeméride.

 
CÂNTICO NOVO PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Administrator   
Quarta, 14 Agosto 2013 19:22

 

Uivam nômades naus e fundos marinheiros

porque foi devastada a terra

cujos solitários juncos soprastes

a ilha de Cetim foi desolada

e reduzida à cinza de uma quarta-feira seca

eivada de árvores centenárias e saudosas

tuas longas pernas eram cabos

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>

Pág. 5 de 12