EKÍVOCVS Versão para impressão
Escrito por Administrator   

Fui ao equinócio da alma

à serra onde o espírito repousa

a páramo onde Deus durma

fui ao búzio

do mar trancafiado

olhar o rosto da maré abrigada na concha

a poética rocha que água devora ver

o plural território do delírio fui

embriagado dos demônios de Dostoiévsky

(acabara de ler Os possessos... SOS).

 

Fui ao oceânico além de mim... e vi o poema.

 

Fui ao equívoco de mim sentir. Gritar.