CLARIDADE MORTA (UTOPIA MECÂNICA) Versão para impressão
Escrito por Administrator   

À rubra claridade de outubro

junte-se clamor pelo escuro

que alma dividida habita

entre utopia e mecânica fluida

divisão de lucros fúteis

e perdas agnósticas

 

charco imenso cocho

de perdizes e agosto.

 

Que lustre das asas dos sonhos

enferruje luz de agosto

e dias bisonhos em que já não mais ruja

a dor.

 

E pulcra seja a certeza

de que a vida é suja.

Não é rija.