DE LÁSTIMA É A PELE DOS PUSILÂNIMES Versão para impressão
Escrito por Administrator   

Uretra dos monges tranquila

avanço da úlcera severo

Atônito futuro dos condôminos de luxo

dúbia memória do escombro

Azuis vísceras das cinzas

vítrea ira dos alcoólatras

Tênue sina dos insensatos e a pele

dos pusilânimes de lástima

De lata alma de déspota

de mármor sono de estátua

Berço da escória incêndio

ruína do rosto o tempo

último sopro apaga o mundo

tem espessura de um segundo

Fôlego dos moribundos fraudulento

gesto do gato veludo alento.