POEMA TALVEZ Versão para impressão
Escrito por Administrator   

Talvez seja a manhã sonho roto

e sejamos mortos no nascedouro.

Talvez apenas respiremos ar

que nos doa outro ser em aborto.

 

Talvez sirva existência apenas para

que a palavra talvez exista

sendo única que talvez persista

quando o mundo for nada vezes nada.

 

Talvez nada valha: nem a poesia.

Talvez valor de cada coisa

se esconda em sua fantasia.

 

Talvez a vida seja sonho argentino,

tango dissoluto, instante suíno.

E a morte apenas um soneto inacabando.

E sem sentido.