AMAR-RAS Versão para impressão
Escrito por Administrator   

As amarrras eram de aço novo

(e o verbo ser não mentia)

cadafalsos perfilhavam-se orgulhosos

galões e vísceras da festa

expostos em absurdo gostavam

estrépito dos tambores de outubro

apavorava tímpanos

embeveciam infantes

gestavam silêncios zodiacais

orgasmos místicos nos músicos

selos floridos das bastilhas indicavam

afrouxamento sumário das medidas

e folga dos guardiões (o provam pilha

de armaduras no estojo)

rua rescendia à malva jovem

e na praça odor de armas úmidas

prosperava

 

e a torre armada de nuvens brancas

se engalanava

lagarto urinava na pesagem

e enormes carros de assalto

(parecendo círios)

apodreciam a paisagem

enquanto toneladas de latas

se decompunham nas calçadas.

 

2013