DEDICATORIAL Versão para impressão
Escrito por Administrator   

A sodomitas o novo céu.

A poetas a frase lídima.

À moeda furada de César a vida.

(Com ela trinta vezes é paga a morte de Cristo).

 

Os reveses da sorte, as sortidas do tempo.

 

Os mendigos gnósticos, as sapiências do acaso.

 

Os vendedores da fé renovam-se agora.

Dos formidáveis templos digitais virtual Deus opera.

 

Os evangelhos são lenhas das fogueiras da vaidade.

 

Às praças púbicas vêm as línguas puras.

 

Se os velhos símbolos já não nos dominam

é que a nova poesia se alevanta da rua

rebelada, selvagem, nua.